domingo, 27 de agosto de 2006

Viana do Castelo - II (Santuário do Monte de Santa Luzia)




















Quando se chega a Viana do Castelo é impossível não se reparar nele. Refiro-me, naturalmente, ao Santuário de Santa Luzia. Aliás, não deixa de ser curioso que o mais conhecido monumento da cidade seja do século XX.
O projecto do Santuário é do arquitecto Ventura Terra, tendo as obras decorrido entre 1890 e 1930. O estilo da construção é Românico-bizantino. A construção é grandiosa, o espaço interior magnífico, as vistas espectaculares (só por isso vale a pena subir até lá) mas falta algo: a vivência religiosa típica dos arquitectos de outros tempos, que lhes permitia transmitir esse sentimento aos edifícios que construíam*.
A subida, que pode ser feita a pé, de carro ou de funicular, é muito bonita
Uma vez lá chegados reparamos que, de perto, o Santuário nos faz lembrar o Sacré Coeur de Paris.
Não sei se ainda é possível fazê-lo, mas subir ao zimbório, para quem não sofra de caustrofobia por causa das escadas muito apertadas e não tenha vertigens, é uma experiência única

*Vale a pena ler a propósito deste tema o romance “Os pilares da Terra” cuja acção decorre à volta dos construtores de catedrais da Idade Média.

2 comentários:

Moura disse...

Umas das "artes" que nos passa um pouco despercebida acaba por ser a arquitectura. Reparamos mais num belo quadro ou numa bela escultura. A arquitectura para além das três dimensões que normalmente lhe atribuímos acaba por ter o encanto de nos proporcionar uma quarta dimensão: a experiência e vivência do edifício que só se adquire nele e dentro dele ao percorrer o seu interior! E se tivermos capacidade de imaginarmos a época em que foi feito, os sons, as roupas, etc...maravilha!

al cardoso disse...

Eu ja subi ao zimborio, e de facto marcante, e coisa que se nao esquece, a paisagem que dali se avista.