quarta-feira, 23 de agosto de 2006

Uma Estória Curiosa - VI (O Banho Santo)

Hoje, seguimos um pouco para sul, até S. Bartolomeu do Mar, para dar conta do Banho Santo. A seguir voltaremos a Viana do Castelo, pois ainda há muito para ver.
Em São Bartolomeu do Mar assistimos, no dia 24 de Agosto de cada ano, dia de S. Bartolomeu*, a um curioso ritual, meio profano, meio religioso, que é conhecido como o “banho santo”.
Nesse dia, conhecido como o “dia de todos os demónios”, os romeiros, no cumprimento de uma promessa, levam os seus filhos ao mar de forma a evitar que fiquem gagos, medrosos e epilépticos. Além disso, depois do banho, ficam ainda mais alegres, sadios e inteligentes.
É também costume essas crianças levarem um frango preto vivo ao colo, que entregam na igreja antes do banho.
O banho é dado por banheiros de ocasião, muitas vezes sargaceiros, e consiste em mergulhar as crianças 3 vezes nas ondas, independentemente da berraria que cada uma delas faça.
Acredita-se que este banho vale por sete e, andando o diabo à solta nesse dia, dá protecção contra a possessão, que é visível no caso dos ataques de epilepsia.
Estamos assim no domínio do cristão mas com sobrevivências pré-cristãs: o banho seria uma sobrevivência da antiguidade pré-cristã, os frangos pretos uma prática medieval e a procissão uma reminiscência do século XVIII.

*S. Bartolomeu é o Santo Padroeiro dos Dermatologistas, pois quando foi sacrificado arrancaram-lhe a pele, e ainda dos Gagos o que levou o rei D. Pedro, que era gago, a mandar esculpi-lo, levando a sua pele às costas, nos célebres túmulos de Alcobaça.

Fotos retiradas nos sites:

6 comentários:

Carlos Ponte disse...

Olá Tozé!
Nunca assisti, ao vivo, ao banho santo de S. Bartolomeu. Apenas pela televisão. Aquilo que guardo na memória desse ritual é a gritaria das crianças quando as arrastam para o banho, a ponto de pensar que muitos deles ficarão gagos depois do ritual, tal é o susto que experimentam. Mas se calhar é a televisão que deturpa as coisas e as ciancinhas até vão para a molha cantando e rindo.
Vejo que voltou à minha cidade. Fez muito bem. Se aparecer pela esplanada do café Amarillo, pelas 10 da noite, terei todo o gosto em lhe pagar um café. Copiando os agentes secretos: estarei a ler o Jornal.
Um abraço,
Carlos Ponte

Carlos Ponte disse...

Olá Tozé!
Nunca assisti, ao vivo, ao banho santo de S. Bartolomeu. Apenas pela televisão. Aquilo que guardo na memória desse ritual é a gritaria das crianças quando as arrastam para o banho, a ponto de pensar que muitos deles ficarão gagos depois do ritual, tal é o susto que experimentam. Mas se calhar é a televisão que deturpa as coisas e as ciancinhas até vão para a molha cantando e rindo.
Vejo que voltou à minha cidade. Fez muito bem. Se aparecer pela esplanada do café Amarillo, pelas 10 da noite, terei todo o gosto em lhe pagar um café. Copiando os agentes secretos: estarei a ler o Jornal.
Um abraço,
Carlos Ponte

Carlos Ponte disse...

Olá Tozé!
Nunca assisti, ao vivo, ao banho santo de S. Bartolomeu. Apenas pela televisão. Aquilo que guardo na memória desse ritual é a gritaria das crianças quando as arrastam para o banho, a ponto de pensar que muitos deles ficarão gagos depois do ritual, tal é o susto que experimentam. Mas se calhar é a televisão que deturpa as coisas e as ciancinhas até vão para a molha cantando e rindo.
Vejo que voltou à minha cidade. Fez muito bem. Se aparecer pela esplanada do café Amarillo, pelas 10 da noite, terei todo o gosto em lhe pagar um café. Copiando os agentes secretos: estarei a ler o Jornal.
Um abraço,
Carlos Ponte

Carlos Ponte disse...

Pois é, parece que também tomei o Banho Santo. Fiquei com um princípio de Parkinson. Desculpe o triplicado.
Carlos Ponte

Moura disse...

Para sofrer menos neste banho aconselho a comprar um fato de mergulho...
Eu bem que levei para os Açores o meu...mas com a água na casa dos 24/25 graus, acabou por não sair do saco!
Penso ser uma boa água para ti, não?

Tozé Franco disse...

Caros Carlos e Carlos:
Muito obrigado pela vossa visita.
Com a água a 16ºC também eu berrava e chorava.
Agora a 25º ninguém precisava de me levar ao colo. Quer dizer, depende do colo. Quanto ao café em Viana talvez seja possível brevemente.
Um abraço.