segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Dicionário de Natal - letras R, S e T

Um Santo Natal para todos.


R

RABANADAS DOURADAS - É um dos doces típicos do Natal podendo também chamar-se Fatias Douradas ou Fatias Paridas.
INGREDIENTES
16 gemas de ovos;
500 gr. de açúcar;
1 kg. de pão;
canela;
limão ;

Preparam-se em ovos-moles as 16 gemas com 16 colheres de sopa de açúcar. Estes ovos-moles devem ficar muito espessos. Com o restante açúcar e um copo de água faz-se uma calda fraca. Corta-se em fatias, o pão, que deve ser de véspera, e passam-se estas, primeiro pela calda de açúcar, escorrem-se e depois passam-se pelos ovos-moles. À medida que se preparam, vão-se colocando as fatias douradas numa travessa. Polvilham-se com canela e espalha-se por cima a casca de limão tirada a muito fina (apenas o vidrado) e cortada em tirinhas.
Sobremesa própria da quadra de Natal.

REDENTOR - Deus é chamado redentor enquanto converte e livra dos perigos o seu povo da escravidão e restitui à liberdade. Jesus tem por eminência o título (nome) de redentor, porque ofereceu a Sua vida pela redenção do género humano.
Como redentor, a sua principal obra, foi o sacrifício da cruz, obra perfeitíssima, pela infinita dignidade do sacerdote e vítima pela universalidade dos frutos e pela sua máxima eficácia para a glorificação de Deus e remissão dos pecados.

REIS MAGOS - Pouco tempo depois do nascimento de Jesus, chegaram do Oriente a Jerusalém, guiados por uma estrela, certos personagens que o Evangelho designa pelo nome de Magos. Encontram-se com Herodes, a inquirir onde teria nascido «o rei dos Judeus» e, de seguida, foram a Belém prestar adoração e oferecer presentes ao Menino Jesus. Advertidos em sonho de que não tornassem a Herodes, voltaram à sua terra, por outro caminho.
É, todavia, pouco provável que eles fossem reis ou príncipes, pois os escritores mais antigos não lhes atribuem tal dignidade, nem os monumentos os representam como tal. É igualmente incerto o seu número: nas representações das Catacumbas, aparecem geralmente três, mas também se encontram dois, quatro ou seis; os Sírios e os Árabes falam em doze.
Os nomes que hoje se lhes atribuem, Gaspar, Melchior (ou Belchior) e Baltazar, aparecem pela primeira vez em princípios do séc. IX. Persistem também dúvidas quanto ao culto prestado às suas relíquias. Diz-se que foram trazidas no séc. IV, da Pérsia ou da Arábia para Constantinopla e daqui passaram a Milão, de onde o imperador Frederico Barbarroxa, em 1161, as teria mandado trasladar para Colónia.

RENA - Mamífero artio-dáctilo, da família dos ervídeos, género rangifer.
Porque é que o Pai Natal tem renas?
O autor Clement Moore e o seu poema «Uma visita de S. Nicolau», de 1822, serão os responsáveis. Até aí o Pai Natal ou andava a pé de casa em casa ou deslocava-se num cavalo branco. Moore foi buscar as renas a uma lenda Filandesa acerca da figura mítica do «Velho Inverno», em que conduzia as renas pelas montanhas abaixo, trazendo neve com ele.


S/T

SAPATINHO - sapatinho-do-jardins. Designação brasileira de Pedilanthus Tithymaloides Poit. da família das Euforbiáceas.
É costume por o sapatinho na chaminé, porque acredita-se que o Menino Jesus (agora, infelizmente, o Pai Natal) deixa lá os presentes.

SINO - Instrumento geralmente de bronze, em forma de campânula, que produz sons fortes quando se percute com uma peça chamada "badalo" ou com um martelo exterior.
É o sino que chama os fieis para a Missa do Galo.

TERRA SANTA- ver em Palestina.

TRENÓ - Espécie de veículo sem rodas, próprio para andar no gelo. É usado nos países frios. Segundo a lenda, o Pai Natal desloca-se num trenó puxado por renas. (ver Renas)

5 comentários:

Cris Moreno disse...

Tozé, vou levar esta receita de rabanada.

Beijos.

Professorinha disse...

Eu sou uma rapariga de babas de camelo, doce da casa, mousse... essas coisas...

Rabanadas só como quentinhas...

Beijos

rosa dourada/ondina azul disse...

Essa rabanadas devem ser deliciosas !!!


Feliz Ano 2008 !

Beijinho,

Beija-Flor disse...

Tozé,

E a letra " Q" ?
Para ela diria " Querer bem", "Qualidade e não quantidade" , um "Quindim" para adoçar.

Pra a letra "R" penso em "ROMANTISMO", já tão esquecido nos dias atuais.

Para a letra "S" a "SAUDADE", que por mais dolorida que parece só sentimos daquilo que amamos e que nos foi (e continua de certo modo) importante.

Para a letra "T", escolho a "TERNURA" até para o mais duro coração.

Abraços

Beija-Flor disse...

Tozé,

E a letra " Q" ?
Para ela diria " Querer bem", "Qualidade e não quantidade" , um "Quindim" para adoçar.

Pra a letra "R" penso em "ROMANTISMO", já tão esquecido nos dias atuais.

Para a letra "S" a "SAUDADE", que por mais dolorida que parece só sentimos daquilo que amamos e que nos foi (e continua de certo modo) importante.

Para a letra "T", escolho a "TERNURA" até para o mais duro coração.

Abraços