segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Alcabideque

O Castellum (Foto de Jorge Acúrcio - Olhares.com)

Foto de João Azevedo
O Tanque (Foto de João Azevedo)

A palavra Alcabideque é proveniente do árabe "al" e do latim "caput aquae", que significa captação de água, olhos de água.
É terra famosa devido à existência de uma nascente de água, que abastecia a cidade romana de Conímbriga, onde existe um importante monumento da época romana. Situada a 3 Km desta cidade romana, a ela estava ligada através de um aqueduto com cerca de 3550 metros que se inicia no Castellum, uma torre que servia para elevação da água e onde existia um curioso sistema de purificação de água.
Grande parte do percurso do aqueduto é subterrâneo, passando por baixo de muitas casas da povoação. Apenas nos últimos 170 metros corre sobre arcos, sendo visível ainda um.

No tempo das invasões bárbaras que puseram fim ao Império, foi destruído pelos Suevos, contribuindo parea a decadência da cidade de Conímbriga que se viu, assim, privada de água.

Lenda da nascente de Alcabideque.

Há muitos, muitos anos, na época dos romanos, a aldeia de Alcabideque vivia um ano de grande seca.
Num belo dia, estava uma senhora com o seu rebanho que pastava, quando viu, saíndo de um buraco, um pássaro que tinha o bico e as patas molhadas.
Refeita do espanto, correu à aldeia a chamar os vizinhos para verem tal fenómeno. Começaram, então todos a escavar e encontraram uma nascente. Houve festa a noite toda pois acabara a seca.
Os romanos, alguns anos depois, taparam a nascente com uma torre (Castellem de Alcabideque) e canalizaram a água para a cidade de Conímbriga.
Desde esse dia, passou a ser uma região farta de água e Alcabideque sinónimo de "olhos de água" e de "água de Deus".

Este texto baseou-se num trabalho feito pela minha aluna Rita, do 5.ºC

13 comentários:

Pitanga disse...

Tenho fotos lindas de Conímbriga. Adorei conhecê-la.

abraços

APC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
APC disse...

Sempre muito interessante, para mim, conhecer a história dos locais, a origem dos nomes, as lendas associadas, o modo de vida antigo. As imagens foram uma boa escolha! :-)
Um abraço!

PS - E, se me permites, um olá também à Pitanga que "ali" está em cima! :-)

Tozé Franco disse...

Cara Pitanga:
ainda bem que gostou.
Um abraço conimbricense.

Tozé Franco disse...

Cara APC:
Obrigado pela visita e apareça mais vezes. Tentarei continuar a divulgar outras histórias.
Um abraço

Joaquim disse...

Já lá vai uma dezena de anos que passava tardes de verão neste tanque juntamente com muitos amigos e conhecidos.Estas fotos fizeram-me voltar aos tempos de miudo em que à falta de piscina na zona, muitas eram as tardes aqui passadas para nos refrescarmos e divertirmos.
Abraço

GK disse...

E eu adorei lê-lo. Não conhecia esta história. :)

Tozé Franco disse...

Caro Joaquim:
Eu era mais dado a banhos no Mondego e num Valeiro do Choupal a que dávamos o nome de Frigorífico, vá-se lá saber porquê.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Cara GK:
Obrigado pela visita. Por vezes, há histórias ao pé de casa que desconhecemos.
Um abraço.

Nuno disse...

Uma vez, levado pela curiosidade, decidi fazer o desvio e ir ver o que era o Castellum de Alcabideque. Confesso que me senti um bocadinho decepcionado por ver apenas um "monte de pedras" no meio de um lago. Na altura desconhecia a razão de ser desse monte de pedras e não lhe dei grande valor. Agora, com esta explicação, confesso que o Castellum foi subestimado...

Um abraço,
Nuno.

Tozé Franco disse...

Caro Nuno:
É bom voltar a um sítio pela 2.ª vez, porque há sempre algo de novo para ver e descobrir.
Um abraço.

Professorinha disse...

a Conimbriga só fui uma ez, numa viagem de estudo. Tenho pena de nunca mais lá ter voltado... Espero ter novas oportunidades...

Fica bem

Tozé Franco disse...

Conímbriga vale sempre a pena.
Um abraço