domingo, 22 de abril de 2007

Igreja de Santa Cruz - Coimbra


Mais três fotografias (e mais uma de bonus) que nos permitem ter uma ideia das alterações que foram ocorrendo na nossa cidade.

  • 1ª foto - Tirada num Domingo de manhã. A entrada da igreja faz-e subindo dois degraus. Na fachada nota-se a pedra amarela da Mesura (Santa Clara) da construção original (século XII) e a pedra branca de Ançã das obras levadas a cabo no século XVI a mando de D. Manuel I. Um dia ainda falaremos destas obras, pois revestem alguns aspectos curiosos.
  • 2ª foto - Datada de finai do século XIX inícios do século XX. Nessa altura ainda se desciam 11 degraus para entrar na Igreja. O actual Café Santa Cruz, antiga Igreja de S. João de Santa Cruz, tinha a fachada bastante diferente da que apresenta na actualidade.
  • 3ª foto - Claustro do Silêncio do Mosteiro de Santa Cruz. Como curiosidade o facto de se ver a torre sineira de Santa Cruz, que existia ao lado da Escola Jaime Cortesão, onde hoje ficam as escadas de acesso a Montarroio. Um dia destes falaremos dela e da sua demolição.
  • 4ª foto - Bonus. Outra foto da Praça 8 de Maio (último post) com a passagem do Cortejo do Centenário da Sebenta.
A fundação do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra ocorreu nos anos 30, do século XII e teve como principal impulsionador D. Telo que, três anos antes, tinha estado para ser nomeado Bispo de Coimbra, por morte de D. Gonçalo, o detentor do cargo.
Em Dezembro de 1130, mandou D. Afonso Henriques passar carta de doação dos "Banhos Reais", que ficavam nos subúrbios da cidade, a favor de D.Telo.
Segundo relato de Pedro Alfarde, D. Telo deu em troca uma bonita sela que tinha comprado em Monpiller e que havia andado a exibir na cidade, tendo despertado o interesse de D. Afonso Henriques. Na opinião de alguns historiadores, "Os Banhos Reais" talvez sejam as antigas termas romanas de Aeminium ou os banhos de domínio muçulmano.
Ainda há pouco tempo se efectuavam escavações no antigo refeitório do convento, na tentativa de se encontarem vestígios de tais Banhos que, penso eu, se poderão localizar não aí, mas do lado oposto, junto à fonte de Paio Guterres, situada no Claustro do Silêncio que chegou a ter fama de milagrosa (a água curava as doenças oftalmológicas).
Uma estória curiosa - Na década de 30 do século passado o Mondego teve umas grandas cheias que inundaram toda a baixa e, naturalmente, a Igreja de Santa Cruz que ficou com água a grande altura.
Como ninguém conseguia chegar ao Santíssimo (na altura estava numa capela lateral) por causa da água, acabou por ser um artesão que vivia na baixinha que, habituado há muito às cheias (chegava-se a andar de barco nas ruelas da baixa), lá foi a nado, qual Camões, buscar o Santíssimo.
Como pagamento por tal feito, decidiu o Prior de Santa Cruz, dar-lhe um Pinto de Ouro (moeda em ouro).
Um dia destes voltaremos a Santa Cruz, pois neste mosteiro fica o maior Santuário da Europa que continua desconhecido da maioria dos conimbricenses.

15 comentários:

Jofre Alves disse...

Peço desculpa pela minha ausência, devido aos muitos afazeres, mas hoje das primeiras visitas que fiz foi, como não podia deixar de ser, foi como se impunha a este maravilhoso e sempre interessante blogue. Boa semana e até breve, agora, como antigamente mais assiduamente. A beleza e o valor histórico destas fotografias é impressionante.

Sei que existes disse...

Informações e modificações bastante interessantes!
Belas fotos!
Beijocas

Moura disse...

Sempre ouvi a minha mãe falar das cheias na baixa de Coimbra. É verdade, a minha mãe viveu a sua infância em Coimbra. Estes postais são mesmo uma jóia para entender as mutações urbanisticas.
Um abraço

Maria disse...

Olá.
É a minha primeira vez aqui.
Bonitas imagens.
Mas a que me chamou a atenção foi a foto do perfil.
Foto tirada ao pé de uma caldeira nas Furnas, São Miguel, Açores?
Boa semana

Eduquês disse...

Chegou mais um sítio para cuscar.
http://pedagoges.blogspot.com/

sonhadora disse...

Sonhos mágicos.
Beijinhos embrulhados em abraços

GK disse...

Mais uma história fascinante e que nos é muito querida. Obrigada.
Boa semana.

Cris disse...

BOM DIA AMIGUINHO E BOA SEMANA :-)

OBRIGADA POR SANTA CRUZ, LEMBRO-ME BEM DE TER DE DESCER AS ESCADINHAS PARA A IGREJA (ERAM A MINHA SOBRINHA MARTA E A TUA MARIANA PEQUENINAS) E DOS ELÉCTRICOS E DO TRÂNSITO NA FERREIRA BORGES E VISCONDE DA LUZ-E DE UM GATO ENORME E PELUDO, DOS PROPRIETÁRIOS DE UMA LOJA, QUE COSTUMAVA DESCANSAR NO PASSEIO EM FRENTE LOL - VI-O NÃO HÁ MTOS ANOS AQUELE GATO ERA QUASE UMA INSTITUIÇÃO ;-)DEVE TER MORRIDO BEM VELHINHO!
QUANTO AO ZECA AFONSO(ENTRETANTO ACTUALIZEI O POST:-) O QUE TOCAVAS CHAMA-SE "SAUDADES DE COIMBRA"- DA AUTORIA DE MÁRIO FONSECA (VERSOS) E MÚSICA DE EDMUNDO BETTENCOURT.
Bjinhos e desculpa as maiusculas...

Sónia Silva disse...

Olá!!
Finalmente um comentário...
Ainda não lhe tinha feito nenhum comentário, mas já tive oportunidade de o visitar algumas vezes e gostei imenso do conteúdo (o arroz de lampreia tem um aspecto delicioso ;).
Beijinhos

Maria disse...

Mais uma estória curiosa, mais umas imagens lindas de coimbra...

Obrigada

al cardoso disse...

Tambem me lembra muito bem de descer as escadas para entrar para a igreja.

Excelente "post" com postais antigos como eu gosto!

Um abraco d'Algodres.

Pisces Girl disse...

É sempre bom ler histórias sobre a cidade de Coimbra. Obrigada!

Professora disse...

Por tua causa aprendi mais coisas sobre essa bela cidade que é Coimbra.
Obrigado

Um abraço
Joaquina

lurainbow disse...

A cidade dos meus AMORES ou seja da mana mais nova e do meu sobrinho bebe. Muito interessante as fotos para quem conhece bem aida deve ter muito mais valor . Jinhos

sonhadora disse...

Faz parte dos meus sonhos.
Beijinhos embrulhados em abraços