domingo, 30 de março de 2008

O galo de Barcelos

O galo originalAs variações




O Cruzeiro associado à lenda do Galo

É provavelmente a peça de artesanato português mais conhecida no mundo. Falo, naturalmente, do Galo de Barcelos.
Por mais curioso que pareça, há muitos galos de Barcelos à venda que são Made in....China.
Poderia propor à boa gente de Barcelos que fizesse um Chop Suey de Capão para concorrer com a comida dos restaurantes chineses, mas não vale a pena pois não trocaria uns bons Rojões ou umas Papas de Sarrabulho por qualquer especialidade chinesa.
Não ia a Barcelos há anos e, desta vez, apesar de estara apenas de passagem, reconheço que a cidade está bonita e se recomenda, ficando uma visista mais demorado para a próxima vez.
Voltando aos galos, que de símbolo de Barcelos se tornaram num símbolo de Portugal, é de referir que associada à peça de cerâmica está um lenda curiosa e que passo a transcrever.
Segundo ela, os habitantes do burgo (Barcelos) andavam alarmados com um crime e, mais ainda, por não se ter descoberto o criminoso que o cometera.
Certo dia, apareceu um galego que se tornou suspeito. As autoridades resolveram prendê-lo e, apesar dos seus juramentos de inocência, ninguém o acreditou. Ninguém julgava crível que o galego se dirigisse a S. Tiago de Compostela em cumprimento duma promessa; que fosse fervoroso devoto do santo que em Compostela se venerava, assim como de São Paulo e de Nossa Senhora.
Foi, por isso, condenado à forca.
Antes de ser enforcado, pediu que o levassem à presença do juiz que o condenara. Concedida a autorização, levaram-no à residência do magistrado, que nesse momento se banqueteava com alguns amigos. O galego voltou a afirmar a sua inocência e, perante a incredulidade dos presentes, apontou para um galo assado que estava sobre a mesa e exclamou:
- É tão certo eu estar inocente, como certo é esse galo cantar quando me enforcarem.
Risos e comentários não se fizeram esperar, mas pelo sim e pelo não, ninguém tocou no galo. O que parecia impossível, tornou-se, porém, realidade! Quando o peregrino estava a ser enforcado, o galo assado ergueu-se na mesa e cantou. Já ninguém duvidava das afirmações de inocência do condenado. O juiz corre à forca e com espanto vê o pobre homem de corda ao pescoço, mas o nó lasso, impedindo o estrangulamento. Imediatamente solto, foi mandado em paz.
Passados anos, voltou a Barcelos e fez erguer um monumento em louvor à Virgem e a São Tiago (Santiago).
“Barcelos verde rincão
Terra lusa, nobre gente
Onde um galo morto cantou
Para salvar um inocente."

17 comentários:

Pitanga Doce disse...

Há anos não vou à Barcelos! Tinha um galo igual ao da primeira foto que foi perdendo a asa, depois o rabo...está na hora de voltar, e vejo que a cidade mudou bastante.

abraços de domingo

Kalinka disse...

Dizem os blog-expert que a melhor maneira de acabar com um blogue é fazer longas pausas, terminar e depois voltar, enfim, parecer inconstante...
Isso faz com que os leitores percam o interesse e desapareçam.
Será mesmo?

Percebi que a vida não se arruma, puxam-nos o tapete a toda a hora...e, estou mesmo decidida a «fechar» o meu kalinka...muito sorrateiramente um dia destes estará fechado. Não quero alaridos, tudo feito no silêncio e na dor que a minha vida tem sido, nestes 2 ultimos meses.

Na despedida, peço desculpa a todos e estás entre eles, que sempre me deram força nos momentos mais difíceis.

Muito obrigada a quem me visita.

Beijinhos.

Gata Verde disse...

Desconhecia esta lenda. Parece que não sou portuguesa...vergonha!
Adorei os galitos.

Beijinhos e boa semana

aminhapele disse...

Adorei a ideia de um Chop Suey de Capão!!!
Um abraço.

Capriccio disse...

Gosto de passar por aqui, porque aprendo algumas coisas, a lenda do galo de Barcelos, já conhecia, mas desconhecia o final, sempre pensei que o pobre homem tivese morrido. Abraço :)

Tozé Franco disse...

Olá Pitanga.
Aí está um bpm motivo para voltar.
Um abraço

Tozé Franco disse...

Olá kalinka.
Já deixei o comentário no teu blog.
Fico à espera do regresso.
Até um dia destes.

Tozé Franco disse...

Olá Gata Verde-
Há lendas emgraçadíssimas por esse Portugal fora. Algumas delas já por aqui passarm em textos anteriores.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Aminhapele.
É assim uma espécie de mouvelle cousine.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Capriccio.
A história temm um final como os portugueses gostam, isto é, um final feliz.
Um abraço.

Maria disse...

Ah, e eu estive aí em cima e nem papas de sarrabulho comi...
O mais bonito é o primeiro, tá bem de ver....

Abraço, Tozé

Cris Moreno disse...

Que lindo! Tenho um de Bragança!

Beijos.
Bom final de semana.

Tozé Franco disse...

Olá Maria.
Gosto muito de Papas de Sarrabulho e de Arroz de Sarrabulho. desta vez não comi mas, geralmente não perdoo.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Cris.
Ter um Galo de Barcelos é ter um pouco de Portugal.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andreia Santos disse...

Pois, mas ate agora e mesmo nos nossos antepassados o sangue que nos corre nas veias e VERMELHO... Mas temos que ter em atençao que ha muitos que nascem para sofrer...
como se diz no casamento "na saude e na doença ate que a morte nos separe"....

beijinhos para o meu tiozinho

Tozé Franco disse...

Olá ANdreia.
Compreendo a tua mágoa, pois mais uma vez estou a escrever como campeão. O meu coração. como dizia o outro, só tem uma cor "azul e branco".
Um abraço.

GK disse...

Também já estive aqui. É lindo!!!