domingo, 11 de novembro de 2007

Museu Machado de Castro



Ao lado do Museu Machado de Castro, corre a rua Borges Carneiro, antiga Rua das Covas.
Juro que nunca percebi esta necessidade de passar o tempo a mudar o nome às coisas, sendo que, muitas vezes, continuam a ser conhecidas pelos nomes antigos. Veja-so o caso da Rua das Figeirinhas, por exemplo.
Mais paradigmático nestas mudanças é o que se passa em termos de educação: quando era estudante fazia Redacções, hoje fazem-se Composições e até Produçõs de Texto (embora ninguém entenda o que muitos escrevem); havia Ditados, hoje Exercícios Ortográficos; Chumbos, disfarçados agora de Retenções ou Não Tansições, sendo que disto não derivou qualquer benefício para a causa educativa....
Mas voltando ao assunto do post, os edifícios que se vêm à esquerda já não existem pois foram demolidos para dar lugar à Faculdade de Letras.
Na 2ª fotografia, vê-se o terreno já sem as casas e, ao fundo, o Museu Machado de Castro, ao lado da Igreja S. João de Almedina, que passou a fazer parte do Museu.
No actual edifício do Museu residiram, desde o século XII, os bispos da cidade, sendo por isso Paço Episcopal, tendo sido transformado em Museu em 1912.

Pergunto eu: não é possível julgar, nem que seja a título póstumo, os criminosos que determinaram a demolição da Alta e que obrigaram a mudar de casa um grande número de pessoas? Algumas delas foram transferidas para um Bairro Provisório, o Bairro de Celas, junto ao actual Hospital da Universidade, onde ainda hoje vivem. Notem bem, provisório.
Este bairro é um local curioso de visitar, pois encontramos aí algumas das estátuas levadas da velha Alta aquando da demolição.

11 comentários:

Lia Marta Torres disse...

Vim agradecer-lhe a visita ao meu blog e dizer que gostei do seu, principalmente as fotos antigas de Coimbra

Pitanga disse...

E eu que pensava que só aqui é que havia essas distorções e eu era a única a me descabelava por conta de que Redação virou Produção de Texto. E tem gente que não produz nada!
Ah, Celas era onde morava o rapaz, por cima da Vênus.
Nem digo mais nada.

as-nunes disse...

É lá Tozé. Já reparou na data do post?
Claro que as fotos e o texto são sempre obras para serem devidamente apreciados.
Um grande abraço
António

al cardoso disse...

Tambem sou daqueles que nao concordam com a mudanca de nomes das ruas pontes e outras coisas do genero.
Tambem concordo com o meu amigo quando se refere aos termos academicos, mas sabe o meu amigo tao bem como eu que nos portugueses somos um povo complicado por natureza, pois caso nao complicassemos tanto a vida talvez ja estivesse-mos ao nivel dos outros paises europeus.
Agradeco-lhe pessoalmente a divulgacao dessa parte de Coimbra que muitos nao conheceram!

Um abraco amigo d'Algodres.

Nuno disse...

Eu também não ocncordo com a mudança dos nomes das ruas. Não só pela confusão que isso pode trazer, mas os transtornos que causa a quem vive nessas ruas, que depois vai ter que mudar uma série de documentos e, mesmo não tendo mudado de casa, têm que mudar de morada, com todos os custos que daí advêm e dos quais não são ressarcidos por quem levou a essa situação. Há coisas bem mais importantes que se deviam mudar e continuam na mesma, por tempo indeterminado, a tender para infinito.

O mesmo se passa com a transferência provisória dos habitantes da alta de Coimbra para o Bairro de Celas. Como quase tudo em Portugal, o que é provisório tem tendência a tornar-se definitivo. Faz-me lembrar um posto de abastecimento de combustível existente na Lousã há mais de 10 anos, ao lado do quartel dos bombeiros que, na altura em que foi construído, foi a título provisório e, até hoje, permanece no mesmo sítio...

Um abraço,
Nuno.

jnavarro disse...

...na minha geração, ou muito me engano, ou o ensino assentava na memória... fica, faz o teste e esquece...

Impressiona-me as conversas com os mais velhos e a forma como eles ainda hoje se lembram de tanto... mais muito mais do que hoje sei...

Relativamente às imagens deixo aqui uma pergunta... a 3ª existe também no Portugal dos Pequenitos?

GK disse...

O Bairro de Celas é delicioso. É também lá perto, nos muros do hospital velho, que está o protão em ferro forjado do antigo Hospital dos Lázaros. Lindíssimo.

Professorinha disse...

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades... e os nomes às coisas...

Fica bem

Rui Caetano disse...

As mudanças devem respeitar a memória dos povos e as tradições.

MC disse...

Entre 1973 e 77 vivi em Coimbra, na 2ª rua do bairro de Celas e sempre me questionei sobre a estrutura/configuração daquele bairro e das suas estátuas, ex. a de S.Pedro: está resolvida a questão, ao fim de tantos anos.

Tozé Franco disse...

Caro mc:
Não imagina como é bom sabermos que a informação que disponibilizamos possa ser assim utilizada.
Um abraço e obrigado.