segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Aproxima-se o Natal

Este ano resolvi antecipar-me.... O frio que se fez sentir nestes 2 últimos dias lembrou-me que está quase a abrir a época de caça àqueles que defendem a celebração do Natal, como é o meu caso.
Mais uma vez, no dia 8 de Dezembro, irei fazer o Presépio no minifúndio (4 metros quadrados) que possuo em frente à minha casa.
Não aceito que me digam que, ao fazê-lo, esteja a desrespeitar todos aqueles que não são cristãos. Acho que o respeito não tem nada a ver com isso.
Quando vou a Lisboa e passo na Praça de Espanha, não me sinto ofendido pelo Minarete da Mesquita da cidade. Sinto, aliás, uma alegria pela diversidade que posso viver neste país e pela liberdade que os muçulmanos têm de poder expressar a sua fé publicamente.
Por isso não me identifico com todos aqueles que pretendem demonstrar um grande respeito pelas outras religiões, esquecendo-se de fazer o mesmo pelo cristianismo em geral e, mais particularmente, pela Igreja Católica.
Alías, analisados os seus discursos depressa se vê que não bate a bota com a perdigota, pois estou farto de pessoas que pretendem pensar por mim e dizer-me o que é correcto ou não.
Este Natal mais uma vez vão obrigar-me a ser politicamente incorrecto.
Aqui em casa vai mesmo haver Natal, com Menino Jesus e tudo (e não com Pai Natal) e não Wintermas, como alguém quis impor, o ano passado, numa cidade inglesa.
Haja juízo e respeito pelos outros (neste caso também por nós, os cristãos).

27 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

Tozé,
Não é falta de respeito mesmo, temos que respeitar a opção religiosa de cada um, eu digo sempre que sou quase um "encontro ecumênico", pois respeito todas as religiões, e tiro de cada uma o que ela tem de melhor, pois como disse Dalai Lama "a melhor religião, é aquela que você se torna melhor".
Vou aguardar ansiosa pelas fotos deste presépio e se eu ganhar na Mega Sena(é um premiação que temos aqui no Brasil para apostas), quem sabe não passo meu natal em Portugal, apreciando os presépios, vou adorar sentir esse friozinho, pois aqui anda um calor de matar.
Abraços

Tozé Franco disse...

Cara Codinome Beija-flor:
Sempre participei em encontro ecuménicos e desde sempre aprendi a respeitar todas as ideias (religiosas, políticas ou outras) diferentes das minhas. Posso não concordar com elas, mas luto pelo direito das pessoas as poderem expressar livremente.
Faz-me, no entanto, impressão não poder exprimir as minhas livremente, particularmente quando as críticas vêm de pessoas que a última coisa que podem fazer é dar-me lições de liberdade e respeito pelos outros.
Um abraço e aproveito para lhe dizer que é sempre bem-vinda.

Maria disse...

Está a ser difícil comentar no teu blogue, Tozé. Não sei porquê, pendura.
Respeito todas as ideologias e religiões, e foi com alegria que, ao abrir o teu blogue, deparei com "um cheirinho" a Natal.
Uma parte de mim gosta do Natal, o da minha infância, outra parte de mim não gosta. Porque as pessoas são hipócritas, e aproveitam-se desta época para se "pavonearem" entre os mais necessitados fingindo que fazem sempre o bem, que estão sempre disponíveis, quando o que fazem é apenas "caridadezinha" durante meia dúzia de horas para virem na fotografia.
Depois, o espírito de Natal, do meu Natal, transformou-se completamente numa exigência de consumismo desenfreado.
Dou-te os parabéns por manteres vivo o espírito de Natal da minha meninice, e ficarei atenta para ver o teu presépio aqui, tal como fizeste no ano passado...

Abraço

Pitanga disse...

Já pensaram se todos os blogueiros postassem os seus presépios? Seus pinheiros, (naturais ou não)suas guirlandas de portas? Teríamos o Natal dos blogs!

abraços

Teresa David disse...

Preferia ver o Natal como a abertura para a generosidade e entendimento entre os homens. Este ano pela primeira vez irei pass�-lo completamente s� ou antes, com os meus dois gatos, pois meus filhos est�o fora e restante fam�lia morreu. Assim, tenciono inscrever-me como volunt�rio para ir servir o jantar de Natal aos sem-abrigo. Este para mim � o verdadeiro esp�rito de Natal.
Bjs
TD

Tozé Franco disse...

Cara Maria:
Natl deve ser todos os dias. faz-me muita impressão o Natal consumista. No entanto, ainda me faz mais impressão o passar a ter medo de o comemorar para não "ofender" ninguém.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Pitanga:
Eu já faço a minha parte.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Amigoa Teresa:
Acho que vai ter um grande Natal...
Um abraço.

bettips disse...

Maria e Teresa: as concordâncias e beijinhos...
Tozé, desculpa aproveitar o teu espaço, é como entrar num café habitual e encontrar quem gostamos! Acenamos...
O teu presépio era lindo, o do ano passado que bem lembro. Cristãos como tu haveria de haver MUITOS. Com o respeito por, e em, cada um. Um abraço

Tozé Franco disse...

brigado pelas palavras.
Quanto ao café, está sempre abertos para os amigos.
Um abraço.

A COR DO MAR disse...

Oi Toze
Tambem sou cristã, e pelos Natais da vida, por muito feliz que esteja com a familia, e/ou amigos etc., nunca estou completamente bem, sabendo que ha tanta tristeza no mundo

Um grd beijinho para ti*

Leticia Gabian disse...

Apesar das opiniões em choque, das controvérsias, dos prós e dos contras, o Natal é uma festa para estar com a família. Este ano, pela primeira vez, estarei longe da minha, mas estarei perto do meu amor (É por uma boa causa, não é?).
Grande abraço e, desde já, um feliz Natal!!!!!!!

aminhapele disse...

Boa Tózé!
Também espero o 8 de Dezembro...
Felizmente,hoje,os meus filhos compreendem porque em casa nunca houve Pai Natal!
Prometo "enviar" o meu presépio.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Cara Cor do Mar:
Essa inquietude é boa, porque é bom sentirmos os problemas dos outros como se também fossem um pouquinho nossos.

Tozé Franco disse...

Cara Letícia:
Acho que vai passar um excelnete Natal cheio de alegria (Letitia).
um abraço.

Tozé Franco disse...

Caro à Minha Pele:
Ainda bem que há pessoas para quem a tradição,as boas tradições,continuam a ser o que eram.
Um abraço.

ManuelNeves disse...

Viva!

Devemos sempre demonstrar a nossa fé (ou a falta dela,como no meu caso)e penso que com isso não ofendemos ninguém. Respeitar e fazer-mo-nos respeitar pelos outros deverá ser um principio basilar na mais pura e sã convivência.
Sou um Cristão, sem fé. Será isso possível?! Sim. Acredito no Homem Jesus Cristo e nos seus grandes ensinamentos.Tento segui-los até onde posso, é um esforço diário e difícil, com avanços e recuos; por isso, em minha casa celebra-se o Natal - celebra-se o nascimento de Cristo - o renascer de uma nova esperança para todos nós.
Não faço presépio, mas, creia-me amigo ToZé, fico muito feliz por haver homens e mulheres, jovens e crianças que mantêm essa tradição viva, com tudo o que ela significa.
É uma demonstração no que se acredita com a maior das dignidades e...sem ofender ninguém.

Um fraterno abraço

Joaquim disse...

Desde miudo que passo o Natal rodeado de família, mas algo mudou, com o crescimento, foi-se a ideia de Natal significar prendas, e veio a realidade que é o Natal da partilha, do amor e de representar-mos o Nosso Jesus.Nada melhor que elaborar um bonito Presépio a assinalar o momento.
Abraço

jnavarro disse...

Caro Tozé,

Gostaria de aproveitar para lhe perguntar se ouviu falar da história da ponte dos 5 reis...Uma história sobre a ponte da portela.

Tenho, habitualmente, umas conversas com um amigo com 78 anos que me vai dando a conhecer alguns episódios aqui sobre Coimbra, Lousã e Miranda do Corvo... Ouvi recentemente esta história e gostaria de a perceber melhor.

Sabe-me dizer alguma coisa sobre isto?

Obrigado

e-mail: chauffeur.navarrus@gmail.com

Tozé Franco disse...

O repreito pelso outros é eesencial para o convívio entre povos. Parece-me que alguns escondem atrás da tolerância, uma profunda intolerância, sobretudo por um conjunto de valores em que se baseia a civilização ocidental.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Caro Joaquim:
Para mim o Natal é, como dizes, partilha. Qaunto ao presépio, pode ser tudo, menos ofensivo. Não entendo como é que a representação do nascimento da alguém pode ser ofensiva para quem quer que seja.
Mas, já não digo nada.

Tozé Franco disse...

Amigo JNavarro:
nunca ouvi falar em tal história, mas vou tentar saber algo. Quem sabe se daí não vai resultar um post?
Um abraço.

Cris Moreno disse...

Ui! que frio!....

Beijos.
boa semana!

Tozé Franco disse...

Já sabe bem estar à lareira.
Um abraço e boa semana.

Tozé Franco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria 6ºD disse...

Olá. Acho que realmente o frio começa a vir, mas preocupa-me o factor de ele não vir sozinho, o sol quase nunca desaparece e começo-me a cansar dele. Eu gosto muito de todas as estações...está a custar-me habituar! Tantas saudades eu tenho de andar debaixo do guarda-chuva! Nessta altura, ainda só andei uma ou duas vezes...custa-me ainda mais pensar, que isso também está nas minhas mãos: afinal, o aquecimento global fomos nós que criámos...
Mas já tive o prazer de ligar a lareira! E de me encostar ao aquecedor da minha sala de aula, de manhazinha!

Desejo-lhe um feliz Natal!!

Maria Barros, 6ªD

Tozé Franco disse...

Cara Maria:
Também eu já me aqueci à lareira. também já sinto a falta da chuva que muita falta nos faz.
Um grande abraço e FELIZ NATAL.