sexta-feira, 23 de junho de 2006

O Nome das Coisas - X

Continuando com a temática do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, vamos hoje falar do Jardim da Manga, assim chamado, segundo a tradição, pelo facto de D. João III, com certeza num dia de grande inspiração, o ter desenhado na manga do seu pelote.
Era, sem sombra de dúvidas, uma história bonita se tivesse algum fundamento.

Os Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, conhecidos como Crúzios, chamavam-lhe simplesmente Fonte da Manga.
Este era um dos dois claustros do Mosteiro de Santa Cruz (o outro era o Claustro do Silêncio) e que hoje se encontra aberto para a via pública (Rua Olímpio Nicolau Farnandes).

A sua traça deve-se a João de Ruão, famoso escultor de origem francesa, como o próprio nome indica, e é uma representação da Fonte da Vida que é Cristo, aqui simbolicamente representado pela água que sai do templete central e alimenta oito tanques agrupados dois a dois.

Junto a este Claustro fica o Restaurante do Jardim da Manga que, embora em regime de self-service, é uma excelente proposta para se comer.

2 comentários:

manuel neves disse...

Viva!

Imagino o seu blog, a um autocarro com guia. As paragens para almoçar ou simplesmente petiscar, vêm sempre muito a propósito. Obrigado pela viagem!

Um Abraço

Moura disse...

Parece-me boa ideia mostrar pormenores da cidade que está tão perto de nós e que por vezes é tão desconhecida para os seus habitantes!
É uma espécie de vá para fora cá dentro numa versão local.
É de louvar tudo o que nos faça ver as coisas/locais/monumentos com maior profundidade/conhecimento.

...siga viagem, Sr. condutor/guia do autocarro(penso que azul e branco)do saber!

Um abraço do Moura.