sábado, 24 de junho de 2006

Estórias Curiosas - O Brasão de Coimbra


Com o computador quase pronto, estou a despedir-me da publicação Best off.... Entramos, portanto, nas três últimas republicações. Hoje resolvi voltar à questão do Brasão da minha cidade, Coimbra.
O Brasão da nossa cidade representa uma mulher jovem coroada, como que a sair de um cálice, tendo do lado direito um leão de ouro e do lado esquerdo um dragão verde (no original).
Quando se pergunta à maioria dos conimbricenses quem é a donzela representada, não anda longe dos 100% as repostas afirmando tratar-se da Rainha Santa Isabel, Padroeira da cidade de Coimbra. Tal, porém, não corresponde à verdade.
Segundo uma lenda contada por Frei Bernardo de Brito, o emblema da cidade teria a seguinte explicação:
O rei bárbaro dos Alanos, Ataces, que usava na bandeira um leão dourado, veio, com o seu exército, e destruiu a cidade de Conímbriga, governada por Hermenerico, rei dos Suevos, que tinha como emblema a serpente verde. Depois disso, resolveu construir uma nova cidade nas margens do Mondego, a actual Coimbra. Hermenerico decidiu vingar-se e veio dar luta a Ataces, mas foi novamente vencido e, para obter a paz, consentiu no casamento da sua filha, a Princesa Cindazunda, com o antigo inimigo, Ataces. A história acaba assim com um casamento feliz, tendo Ataces oferecido à cidade nascente o brasão que ainda hoje se mantém.
O Brasão apresenta então, no meio a Princesa Cindazunda, o cálice simboliza o casamento, o leão dourado, o rei Ataces e o dragão verde, o rei Hermenerico.

As actuais armas da Cidade de Coimbra estão definidas pela Portaria nº 6959, de 14 de Novembro de 1930, que diz textualmente:
"Tendo em vista o parecer da Secção Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses e atendendo ao que representou a Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Coimbra: manda o Governo da República Portuguesa, pelo Ministro do Interior, que a constituição heráldica das armas daquele município seja a seguinte: "De vermelho com uma taça de ouro realçada de púrpura, acompanhada de uma serpe alada e um leão batalhantes, ambos de ouro e lampassados de púrpura. Em chefe um busto de mulher, coroada de ouro, vestida de púrpura e com manto de prata, acompanhada por dois escudetes antigos das quinas. Colar da Torre e Espada. Bandeira com um metro quadrado, quarteada de amarelo e de púrpura. Listel branco com letras pretas. Lança e haste de ouro."

Duas curiosidades à laia de conclusão
1ª- Na fachada da Câmara Municipal de Coimbra é possível ver o brasão com a particularidade de este se encontrar invertido, o leão à esquerda e o dragão à direita. Talvez seja por ter sido esculpido em Lisboa.
2ª - Com um brasão tão bonito, para quê gastar tanto dinheiro para arranjar outro símbolo, para determinados serviços camarários, que, como sabemos, depois de estudos apurados e de muito dinheiro dos contribuintes gasto, resultou numa circunferência cortada, que hoje se vê por aí nos autocarros dos serviços municipalizados e em tudo o que é documento camarário.
Haja paciência que, pelos vistos, dinheiro não falta.

A imagem com o brasão foi retirada do site: http://www.fisicohomepage.hpg.ig.com.br/

5 comentários:

manuel neves disse...

Viva!

Não tenho dúvidas em dizer, que blog's como o seu (o Carlos Moura é outro exemplo), vão muito para além das estórias que nos contam. Além de muito bem escritas, imaginativas, têm aquele "sal" de didácticas/pedgógicas, que lhes vem dar todo o sabor. Belo trabalho. Obrigado pelo que também já aprendi convosco.

Quanto à ligação para o meu pobre Populus, não tem qualquer problema. Pelo contrário, fico bastante sensibilizado e agradecido, pois nem o Blog nem eu próprio merecemos tamanha honraria.

Peço desculpa por já algum tempo não produzir textos para o Blog, mas, a juntar à vida profissional, é mais a académica (estamos em pleno período de exames), a familia (o pilar da minha verticalidade), sempre que possível a procura na natureza de sons, quadros, leituras,enfim: Artes e uma arreliadora doença que de quando em quando lembra-me que existe (e que eu existo); assim sobra pouco tempo para escrever.

Em breve, em breve, lá estarei no PopulusRomanus a sujeitar o ciberespaço a uns quantos pontos negros (melhor: azuis)

Um grande abraço e obrigado pelas palavras de incentivo.

Anónimo disse...

Alguém sabe se Cindazunda e Ataces tiveram filhos? Eu sei que após a mrote do rei Alano ele foi sucedido pelo rei Vândalo Gunderico (veja-se o artigo Attaces na wikipedia em inglês, coisa que, chocantemente falta na portuguesa, que prefere dedicar-se por inteiro a esta lenda, um desperdício apesar de ser bela). Portanto se tiveram algo lhes aconteceu. O quê?

Guida disse...

Nunca tinha encontrado uma definição tão precisa do Brasão da cidade de Coimbra. Parabéns pelo blog!

José Manuel Barbosa disse...

Poderia o Sr. ser tao amável de nos dizer a fonte da lenda e da origem do escudo de Coimbra.
Linda lenda.
Obrigado.
José Manuel Barbosa

Anónimo disse...

Oi, sei nao,

Olhando bem as fotos e comparando, ando achando que esse "mulher jovem coroada" é uma Guimaraes!

Parece muito!
http://pt.wikipedia.org/wiki/Brito#mediaviewer/File:GMR.png

Zz Brito