sábado, 17 de março de 2007

Pontes de Coimbra (As pontes de madeira)




Quando era miúdo e ia ao Choupal, lembro-me bem, no Verão, de junto à 2ª casa do guarda, haver uma ponte de madeira que atravessava o rio Mondego, o Basófias, pois nessa altura do ano era mais a areia do que a água que levava.

Penso que essa ponte, conhecida como a do Pama, é a que aparece na 1ª fotografia. sendo também visível uma barca. Essa ponte ia ter à zona da Bencanta, onde havia um barracão que funcionava como bar.

Estas estruturas eram construídas apenas para o Verão, unindo as duas margens, sendo desmontadas no final do mesmo, pois não aguentariam as cheias do rio. De vez em quando lá acontecia que, havendo cheias mais cedo, lá ia a ponte por água abaixo.

As segunda e terceira fotografias representam outra ponte de igual estrutura, a montante da primeira, vendo-se um conjunto de pessoas a atravessá-la. Esta era conhecida como a ponte do Moreno. Ficava a montante da actual ponte do caminho-de-ferro. A ponte do Moreno ligava a zona da Estação Nova (armazéns) ao Almegue (margem esquerda do Mondego), terra famosa pelo seu poço, onde se pescava achigãs, carpas e enguias e que os locais garantiam não ter fundo. Aquando da construção da Ponte-Açude foi o dito poço aterrado, verificando-se que a crença não tinha fundamento.

Entre estas duas, havia ainda um conhecida como a do Borges, nome de uma propriedade junto ao Choupal que produzia excelente fruta. Daquela que ainda sabia a fruta, não sei se me entendem?

Outras havia noutras zonas do rio, tornando-se uma delas famosa (na zona de Pé de Cão) pelo facto de, numa época em que o rio já apresentava cheias (noite de 31 de Dezembro de 1978), ter sido arrastada por ele e, com ela, cinco caçadores que a atravessavam, tendo falecido quatro deles.
O curioso é que o atravessamento destas pontes implicava o pagamento de uma "portagem" que rondava os 0$50 (cinquenta ccntavos).
A 4ª foto mostra-nos uma nora semelhante à que está no canal de rega que corre junto ao Choupal, que era montada na margem esquerda do rio, e que permitia elevar a água para regar os campos. Esta estrutura também era desmontada no Inverno, pois não era capaz de resistir à fúria da água.

A silhueta inconfundível da nossa cidade lá está a marcar presença em duas das fotografias.

15 comentários:

Moura disse...

Lembro-me um pouco deste Choupal "antigo" com pontes de madeira que desafiavam as leis da gravidade quando as passávamos...
Sempre me atrairam estas pontes que abanam quando nelas passamos!! Pode ser que Freud explique!?
Um abraço

Maria disse...

Lindo.
Gosto tanto de pontes...
... e de rios...
... e do mar...

Bom domingo

caminante disse...

Los recuerdo son nuestras raíces. Nos anclan a la vida. Y nos hace descubrir de dónde venimos, a dónde vamos. quiénes somos.
Un fortísimo abrazo.

Teresa David disse...

Mais um punhado de recordações em fotos da cor do tempo passado, e bem ilustradas com um texto que nos faz acompanhar na viagem no tempo. E estas não conheço, mas sou de Lisboa, e as minhas memórias de Coimbra referem-se a poucas idas até aí, embora sempre tenham sido visitas bem curiosas, pois cheguei a viver um mês numa república mesmo sem ser estudante. Chamava-se Trunfo é copos. Conhece?
Bjs
TD

lurainbow disse...

Muito bom mas ao contrario do Moura gosto pouco que a lei da Gravidade me desafie ...
Beijinhos e obrigado por a visita ;)

Antona disse...

Bellisimas imagenes,me encantan.Que tengas buena semana amigo
um abraÇo

elsa nyny disse...

Olá Tó Zé!!!

Como +e bom passar por aqui e deliciar-me com as tuas histórias!!!


Boa semana para ti!!

Beijin hos!
:)

GK disse...

Está (ou estava) um "apanhado" de fotos das pontes de Coimbra no final da Ponte Pedonal Pedro & Inês, do lado de Santa Clara.
Por acaso não fazia ideia que havia pontes apenas para o Verão!
(Obrigada.)

ju disse...

Estas fotos são de facto um encanto!

Beijinhos.

Joalex disse...

Em 1965 atravessei várias vezes uma destas pontes para ir à Quinta do Almegue. Pele configuração da margem do rio na 1ª foto, com os botes de madeira, penso que que terá sido essa. No entanto pela descrição que faz sobre a localização das pontes, teria sido a da 2ª foto. Estas pontes fizeram-me recordar tempos da minha infância e de um episódio engraçado que se passou numa dessas travessias.
Adoro este blog. Parabéns pelo óptimo trabalho, onde até a música é fantástica!
Obrigado.

Joalex disse...

Criei, há poucos dias, um blog onde fiz uma postagem sobre o episódio da ponte. A finalidade deste blog é apenas a de manter vivo o gosto pela escrita e também dar a conhecer algumas experiências e aprendizagens alcançadas ao longo da vida. Ficarei muito grato e honrado pela sua visita e com a sua opinião, que será certamente uma ajuda preciosa para levar este projecto para diante. Aproveito para lhe desejar umas óptimas férias, muito sucesso no ano lectivo que se aproxima e felicitá-lo pelo seu trabalho no "histórias e sabores".

Anónimo disse...

Good dispatch and this enter helped me alot in my college assignement. Say thank you you for your information.

Anónimo disse...

Sorry for my bad english. Thank you so much for your good post. Your post helped me in my college assignment, If you can provide me more details please email me.

Casimiro disse...

Olá a todos

Como tenho saudades de esse tempo pois vivi no Almegue na quinta onde existia a merciaria da Sãozinha que ficava mesmo junto à estrada.
Lembro-me da ponte de madeira que ligava o Almegue ao Choupal que foi por àgua abaixo com as grandes cheias.
Que saudades voçês me fizeram...............
Cumprimentos a todos e continuem com com o vosso excelente trabalho

Anónimo disse...

Como um novato, eu estou sempre em busca de artigos que podem me ajudar. Obrigado Wow! Obrigado! Eu sempre quis escrever no meu site algo como isso. Posso tomar parte do seu post no meu blog?