segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Mangualde

Senhora do Castelo Senhora do Castelo
Pastéis de feijão do Patronato


No regresso da Guarda proponho-vos uma paragem em Mangualde.
Esta cidade do distrito de Viseu atravessou-se no meu caminho há 24 anos, pois foi aí que comecei a dar aulas, com um ordenado (só tinha meio horário) que não dava para as viagens, qualquer coisa à volta de 52€. Outros tempos.Para além dos inúmeros locais para visitar no concelho, lembro-me das pessoas que aí conheci e dos Pastéis de Feijão do Patronato.
Mangualde, que noutros tempos se chamava Azurara da Beira ou simplesmente Azurara, é uma terra antiquíssima que se situa na margem esquerda do Rio Dão, perto de Viseu.
Apresenta vestígios da presença do homem desde o neolítico (Antas da Cunha Baixa e Padrões), Idade do Bronze / Ferro (Castro do Bom Sucesso), passando pela época de domínio romano (Citânia da Raposeira, Troços de Vias Romanas, Marcos Miliários, Aras e Ruinas de Villae).
De longa tradição e história, o Castelo que outrora existia, terá sido tomado por um chefe mouro- Zurara.
Foi depois o Castelo conquistado aos Mouros por Fernando Magno, Rei de Leão em 1058.
Os Condes D. Henrique e Dona Teresa concederam-lhe foral em 1102.
O Castelo acabou por ser demolido e, no seu lugar, foi construído um Santuário -Nossa Senhora do Castelo.
Mangualde reserva em si mil segredos que só quem o visitar e desvendar é que fica a conhecer, os antigos monumentos, como a Ermida da Senhora do Castelo, localizada no cimo do monte, o Palácio dos Condes de Anadia, Casa dos Condes de Mangualde, Real Mosteiro de Maceira Dão, Ermida da Senhora de Cervães, Igreja da Misericórdia, Casa de Almeidinha, entre outros.
Para além de todos estes lugares que merecem visita atenta, destaque ainda para o Patronato, sito nas instalações da Igraja Paroquial, onde se pode encontrar alguma da melhor pastelaria que se produz neste país à beira mar plantado.
De destacar os famosos Pastéis de Feijão que são do melhor que já comi em toda a minha vida. Há dois anos, durante uma formação em Salamanca, levei uma caixa com umas dúzias deles e posso assegurar-vos que mais facilmente se conquistariam os espanhóis pelo estômago do que pela força das armas.
Assim houvesse pastéis disponíveis noutros tempos.
Mais um bom motivo para visitar Mangualde...

10 comentários:

bettips disse...

Já sabes que me encantas com os teus sabores e saberes. Obrigada, amigo. Não tinha estado na Guarda senão de passagem, contigo a vi melhor! Abç

al cardoso disse...

Gostei do novo visual do seu "blog" e tambem da sua coragem, em visitar a minha regiao nesta altura de frio!

Espero que na proxima visita, lhe sobre um pouquito de tempo para parar em "Fornos de Algodres.
Caso isso aconteca aconselho-lhe o "Abrigo das Courelas" e um cabrito assado ao modo de Fornos, como sobremesa queijo "Serra" com um calice de "Porto" vai ver que vai gostar!

Um abraco d'algodres.

Isadora Lis disse...

Tozé,
adorei o novo estilo do seu blog. Obrigada pela visita.

Boa semana,
Isadora.

asn disse...

Viva Tozé
Com que então já tem história profissional de 20 e tal anos? Nem me faça lembrar que comecei a minha actividade profissional em 1966!? Aqui em Leiria, na Escola Industrial e Comercial de então. Por acaso vai ter lugar o XVII Encontro dos antigos alunos no próximo dia 31 de Março conforme convocatória que também recebi hoje.
Estive em Mangualde há uns meses atrás, fomos lá para participar numa sessão solene de homenagem ao grande pintor, natural de Cruz Alta, José Maria de Almeida.
Um abração
António

Moura disse...

Abençoados pastéis de feijão! Eu sou um grande fã destes doces que parecem exteriormente pastéis de nata...mas que são de feijão!!
Interessante que acabam por enjoar...lá a partir do sexto!!!
Um abraço

Nuno disse...

Gostei do novo visual que deste ao teu blogue!

manuel neves disse...

Viva!

Muito nos conta. Não conheço Mangualde, mas aguçou-me o apetite, um dia lá irei e não vou esquecer de provar os ditos pasteis.

Obrigado pela passagem no "populus".

Um Abraço

Chanesco disse...

Caro Tozé

Este é um daqueles textos que só dé o ler faz crescer água na boca.
Vivam os pasteis do Patronato.

Abraço

Maria disse...

Gosto desta nova cara.

Para quem enjoa estes pastéis, ou outros, nada melhor do que ir bebendo um tintinho a cada dois que se comem... (acho que deve desenjoar...)

Saborear e aprender ao mesmo tempo, que bom...
Um abraço

Manuel Maria disse...

Conheço bem. Tem uma vista magnífica sobre o vale e a um passo do IP5. Vale o desvio e a paragem!

Abraço