segunda-feira, 13 de novembro de 2006

O Milagre das Rosas

O meu ilustre colega Carlos Moura, pessoa que muito prezo, tem vindo a escrever no seu blogue (http://clubedearqueologia.blogspot.com/) uns posts sobre um dos mais emblemáticos monumentos de Coimbra, o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, obra arquitectónica de um gótico belíssimo e que é, simultaneamente, um dos edifícios históricos mais desconhecidos da população de Coimbra. A propósito disso, falou também do Milagre das Rosas atribuído à nossa Rainha Santa Isabel, facto pelo qual muitos julgam que foi elevadas aos altares.
Penso, no entanto, que os principais motivos da sua santidade se devem ao amor que nutria pelos pobres e à luta que travou para pôr fim as guerras que marcaram os reinados do seu marido (D. Dinis) e do seu filho (D. Afonso IV). Deveria, por isso, ser reconhecida com Rainha da Paz.
De facto, o milagre original (das rosas) deve ser atribuído a uma sua tia-avó, Isabel da Hungria (imagem da direita). Esta Isabel, que foi rainha regente da Hungria, também se celebrizou pelo seu amor aos pobres, tendo sido acusada de má gestão e afastada do poder.
Viveu três anos em total pobreza, até que lhe quiseram restituir o poder, o que ela recusou pois apreciou viver na miséria, seguindo o exemplo de uma Ordem Religiosa nascente, a Franciscana. Não nos podemos esquecer que, nesse tempo, era grande a admiração por S. Francisco de Assis com que ela, aliás, se correspondeu. Morreu em 1231, tendo sido canonizada 4 anos depois.
Quando a sua sobrinha-neta nasceu em 1270, era grande o fervor franciscano e o culto de sua tia, daí a escolha do nome. Herdou-lhe o nome e depois o dito Milagre das Rosas, que a pintora Maria Clarice Sarraf tão bem retratou no quadro da esquerda.
Depois de, por várias vezes, ter evitado situações de guerra eminente, acabou por falecer em Estremoz, no dia 4 de Julho de 1336, depois de evitar mais uma guerra entre Portugal e Castela. Logo aí começa a sua fama de Santa não sendo por isso de admirar que, em 1516, D. Manuel tenha solicitado ao Papa Leão X, autorização para se poder fazer o seu culto religioso em Coimbra. Foi canonizada pelo Papa Urbano VIII em 1625.
Curioso é que no já referido ano de 1516, tenha D. Manuel concedido a Coimbra a divisa (brasão) da cidade que conhecemos (a tal da princesa Cindazunda).
E para finalizar uma provocação: E se fosse mesmo a Rainha Santa Isabel, a figura central do Brasão da cidade de Coimbra?
A autora do quadro representando a Rainha Santa é Maria Clarice Sarraf.

11 comentários:

Paola Vannucci disse...

Ainda bem que não estou na listagem abaixo, rsrsrsrssrsrs

ótima postagem meu amigo




bjs

al cardoso disse...

Caro amigo creio que tera que corrigir o titulo deste "post".

Josefa Pacheca Pereira disse...

Bom dia.

foreveryoung disse...

História bastante elucidativa!
Bjs

manuel neves disse...

Viva!
Mais uma brilhante história. Todos ficamos um bocadinho mais ricos.

O Populus, está mais ou menos em "lista de espera", acções de formação no trabalho, mais preparação para os exames de Dezembro, deixam pouco espaço de manobra. Contudo, não deixo de passar pelos meus amigos bloguistas para saber de novidades e enriquecer-me.

Não quero com isto dizer que me estou a furtar ao seu desafio. Nada disso, logo, logo que tiver um bocadinho estou nessa.

Queira receber um fraterno abraço
ManuelNeves

al cardoso disse...

Se calhar estava mais dentro da nossa historia nacional, ser a Rainha Santa a do brasao de Coimbra.

Ja la estao as manias no "aquidalgodres".

Um abraco fornense.

pintoribeiro disse...

Boa noite, um abraço,

Badala disse...

Tu destroís os sonhos dos conibrenses :) muito facilmente. Não há direito!
Uma abraço.

mclarice disse...

Olá Tozé
Obrigada por colocar meu quadro em seu blog. Como chegou até o meu trabalho? O nome da minha obra é Rainha (Santa) Isabel de Portugal.
Maria Clarice Sarraf
Brasil

Tozé Franco disse...

Cara Maria Clarice Sarraf:
Em primeiro lugar peço desculpa por dois lapsos cometidos: pelo facto de não lhe ter pedido autorização para utilizar a imagem e em segundo por não referir a autoria.
Quanto à maneira como cheguei à obra, fi-lo através de uma pesquisa no Google (imagens).
Quanto ao quadro, aproveito para lhe dar os meus sinceros parabéns pela sua qualidade e pelo tema escolhido.
Espero ter ajudado a divulgar a sua obra, neste modesto blog.
Bem-haja pela sua capacidade de colocar na tela, aquilo que imagina.
Obrigado.

Maria Clarice disse...

Obrigada de novo, Tozé.
Espero que tenha um feliz natal e um ótimo 2007 e aqui vai meu site, para que voce veja mais alguns trabalhos meus.
Maria Clarice
http://www.artbiz.com.br/mariaclaricesarraf.html