terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Arco do Castelo

O actual Largo de D. Dinis foi construído no início dos anos 60, do pretério século XX. A sua construção levou a que o Arco do Castelo (fotografias 1 e 2) fosse demolido. Esse arco situado ao cima da Ladeira do Castelo (actual calçada Martim de Freitas) era um dos vestígios que restavam da Coimbra Medieval e estava ligado ao Colégio de São Jerónimo, antigo Hospital da Universidade de Coimbra e actual Faculdade de Arquitectura.
O local onde o arco arrancava ainda é visível na parede do edifício (imagens 3, 4 e 5).
Do lado direito da primeira fotografia é visível a portaria do antigo hospital, bem como o topo das escadas do Liceu, actuais escadas Monumentais.

31 comentários:

Maria disse...

Retomando um passeio por Coimbra....
Obrigada.
Um abraço

Tozé Franco disse...

Olá Maria:
Espero que possas ver Coimbra através dos meus olhos.
Um abraço.

Acordomar disse...

Tenho sempre pena, quando acontecem destas "modificações" modernas ...

Um grd beijinho Toze

mixtu disse...

nunca me passou pela cabeça a existencia de um castelo ...

abrazo serrano

al cardoso disse...

Ate nesses atentados patrimoniais se viram as maleficencias de um regime dictatorial!!!

Restam-nos as fotografias e a boa vontade do amigo para no-las divulgar!

Um abraco d'algodrense.

Nuno disse...

Não há dúvida que o século passado foi terrível para a alta de Coimbra. Não tenho a certeza, mas acho que há fortes probabilidades de se ter perdido mais do que aquilo que se ganhou.

Um abraço,
Nuno.

Lu disse...

Não há dúvida que o tempo e o homem provocam grandes alterações. Estudei lá e nunca soube que houve lá um arco.

Sei que existes disse...

Que excelentes fotos comparativas!
Beijocas grandes

João disse...

Amigo tozé, depois de ver estas imagens, vieram-me à memória as palavras de Santayana - «Quem não recorda o seu passado está condenado a repeti-lo».
Tendo em conta estas atrocidades e as que, ainda hoje, se assiste por este país afora, parece-me urgente criar, a par do Plano nacional para o Ensino da Matemática e do Português, um Plano Nacional para o ensino da História.
Um abraço, agradecido, pela tua memória de protesto.

Tozé Franco disse...

Olá Cor do Mar:
Em Portugal pensa-se que ser moderno é deitar abaixo tudo o que é antigo. Manias de novo rico.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Mixtu:
A zona alta da cidade era todo muralhada. Hoje só resta uma das portas da muralha: a porta (arco) de Almedina
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Caro AL:
Penso que o problema é que mesmo fora da ditadura continuam a comter-se atentados destes.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Caro NUno:
Tenho a certeza que perdemos muito mais do qe ganhámos. Há no entanto um ponto positivo: Foram derrubadas muitas Igrejas e antigos colégios, o que faz com que hoje muitas pessoas não se sintam ofendidas...(eh eh eh eh!)
Conheço dirigentes sindicais que se pudessem, faziam o memso aos actuais colégios (lol)
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Cara Lu:
O problema é que passamos muitas vezes por certos lugares e não reparamos no que lá está. O arco é bem visível n arede do antigo hospital.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Sei que Existes:
Obrigado pelo elogio das fotos.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Caro João:
É para mim uma alegria sempre que deixas um comentário.
Como dizes, um povo sem história é um povo sem futuro. Em Portugal parece que temos vergonha dele e, por isso, apagamos os seus vestígios.
Um abraço.

Teresa David disse...

Sabe-me bem este ano retomar estas passeatas por Coimbra a dois tempos, mas sempre bela.
Bjs
TD

Cris Moreno disse...

Caramba, que crime! Horrível!

Meus Deus, como permitiram isso?

Beijos, Tozé.

Tozé Franco disse...

Cara Teresa:
Passear por Coimbra é sempre agradável. Aliás, para mim, passear é sempre bom.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Cris:
Bem vinda.
O século passado foi terrível em Coimbra. Salazar destruiu parte da cidade para fazer os edifícios da Universidade. A ideia era ter os estudantes todos juntos para melhor os controlar.
Um abraço.

Gi disse...

Um passeio virtual acompanhado pela belíssima voz do Sérgio Godinho. Que melhor companhia?
Uma pena desaparecerem , aos poucos lugares que fazem parte da história da nossa cidade, da nossa história ! E continuamos a reagir ao invés da agir ..


Um beijinho

Tozé Franco disse...

Ora Viva Gi:
A pouco e pouco vamos perdendo as nossas referências e a nossa identidade como povo. Tenho pena.
Um abraço.

Color disse...

Lindas fotos!
Apesar de tudo Coimbra continua a ser uma cidade linda!Ou não!:-)

Cumprimentos

Tozé Franco disse...

Olá Color:
Coimbra, apesar destes atentados, continua a ser uma cidade bonita.
Um abraço.

leonor costa disse...

Coimbra! Essa é a Coimbra menina e moça de que eu gosto tanto! Há muito tempo que não a vejo e já tenho saudades. Em cada canto há uma evocação e paira o amor de Pedro e Inês. A primeira vez que estive aí foi há muitos anos, ainda eu era estudante e adorei. Fizeram-nos uma serenata e foi maravilhoso!
Um abraço e bom ano!

HOJE E AMANHÃ

Rafeiro Perfumado disse...

São crimes arquitectónicos, em que se mata parte do nosso passado.

Um abraço.

Tozé Franco disse...

Cara Leonor:
Em 1.º lugar. bem vinda.
Nem toda a gente se pode gabar de lhe terem feito uma serenata.
Coimbra é assim.
Um abraço

Tozé Franco disse...

Caoer Rafeiro Perfumado:
É difícil apagar o passado, mas há quem tente.
Um abraço.

ManuelNeves disse...

Viva!

Pois, não é só de agora a destruição do nosso património, está-nos nos... genes.

um Abraço

Tozé Franco disse...

Caro Manuel:
Parece bem que sim. Penso que estão porestes a descobrir o gene responsável. Valha-nos Deus.
Um abraço.

Anónimo disse...

Só um reparo!!! O Colégio de São Jerónimo está ligado institucionalmente à Faculdade de Letras e o Dep de Arquitectura está por cima do Colégio das Artes, que fica mesmo ao lado do Colégio de São Jerónimo