domingo, 3 de fevereiro de 2008

Quinta das Lágrimas





Um dos locais mais conhecidos da Lusa Atenas é a Quinta das Lágrimas, local onde hoje está instalado um luxuoso hotel.
O espaço era, antigamente, a Quinta do Pombal que data do século XIV e pertencia ao Mosteiro de Santa Cruz.
Por aí, terá andado Luís de Camões, no século XVI, meditando nos amores de Pedro e Inês que cantou de maneira sublime nos Lusíadas.
Ainda nesse século a sua posse passou para a Universidade.
A Fonte dos Amores data do século XIV e, já nesse século, era designada por esse nome, embora nada tivesse a ver com os amores de Pedro e Inês. Provavelmente foram os estudantes que estabeleceram essa ligação, quando por aí passeavam. Até o regato se diz que servia para levar as cartas de Pedro para Inês, quando esta estava no Convento de Santa Clara-a-Velha.
O actual edifício data do século XVIII, tendo sofrido grandes alterações no século seguinte, devido a um grande incêndio que o consumiu tendo sido transformado em Hotel, em 1995.
Vale bem a pena dar uma volta pelos seus jardins (Infelizmente a entrada é paga! Talvez por isso esteja tão bem conservado.) e sentarmo-nos um pouco junto à Fonte dos Amores, pois é um dos locais com mais carga simbólica que podemos encontrar em Coimbra.

12 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Ainda há pouco tempo lá fui, é realmente um sítio especial, ainda mais sabendo-se da história que ali teve lugar.

Grande abraço!

Nuno disse...

Há uns tempos atrás fui lá mas não paguei! Não estava ninguém à entrada e eu nem sabia que era preciso pagar! Andei por lá, de borla...

Como andava meio perdido, perguntei a uma empregada onde é que ficava essa tal Fonte dos Amores. Ela perguntou se não me tinham informado quando comprei o bilhete. Eu, estupefacto com tal afirmação, perguntei: "Qual bilhete?". Ui, isso é que ela mandou vir comigo! Olhem que sinceramente, andar ali sem pagar!!!

Que culpa tive eu de não estar ninguém à entrada a cobrar os bilhetes?! Acontece-nos cada uma!

Um abraço,
Nuno.

Kalinka disse...

Amigo TóZé

No ano passado, na Primavera fui até esse local que normalmente é tão bem falado, só que...digo-te uma coisa muito a sério, para mim foi uma completa desilusão, um verdadeiro fiasco.

Mesmo junto à escadaria da entrada do super luxuoso hotel, um lago cheio de lodo horrível, água estagnada, cheirava mal...tirei lá uma foto e se um dia calhar mostro-a aqui na net.

Depois fui aos jardins, sim também estranhei, não limpam, não têm o espaço apresentável,mas paga-se...

Gostei da Fonte dos Amores, pois é um dos locais com mais carga simbólica que podemos encontrar em Coimbra.

Volto a referir-me a África, queres espreitar?

Boa semana e excelente feriado de Carnaval.

Professorinha disse...

Ah, eu logo vi que o nome me era familiar! Esse episódio de Pedro e Inês é o meu favorito da História de Portugal. Um dia hei-de visitar a Quinta das Lágrimas, mesmo com entrada paga!

ManuelNeves disse...

Viva!

Há muitos anos que não vou à Quinta das Lágrimas. Realmente é desleixo, aqui tão perto e... Acontece muito, nem sempre nos deslocarmos aos sítios mais próximos de nós, mesmo sabendo da sa beleza natural ou da sua carga histórica. É pena e os meus pecados confesso.

Um Abraço

Tozé Franco disse...

Olá Rafeiro Perfumado:
S+o tenho pena de não ter pilim para ficar no Hotel.
Um abraço

Tozé Franco disse...

Caro Nuno:
Só lá entrei de borla quando lá levei os meus alunos para cantar,mas como chovia desalmadamente, não virão nada.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Cara Kalinka:
Não é a ideia que tenho do espaço.
De qualquer forma é indesculpável estar no estado em que a encontraste.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Professorinha:
Quando vires a Coimbra aproveita e visita o local.
Um abraço.

Tozé Franco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tozé Franco disse...

Olá Manuel:
Está na altura de colocar os passeios em dia e ir à Quinta das Lágrimas.
Um abraço

maria alarcão disse...

Desculpa lá oh Kalinka...então aquela fonte que tem um leão cheirava mal?ou será o lago ao lado da capela? quer dizer, estiveste a pernoitar num Palácio lindíssimo, que era a casa do meu trisavô e que hoje é um hotel fantástico, com um ambiente familiar excelente, luxuoso sim, caro também claro,com hectares fantásticos de jardins com espécies únicas em Portugal, uma das árvores que lá está foi plantada pelo Duque de Wellington quando, na altura das invasões francesas, esteve de visita a convite do meu tetra avô D. António Maria Osório Cabral de Castro...sei lá..o canto III de Camões dos amores de Inês e Pedro aí passados é tão conhecido que até hoje no estrangeiro há quem já tenha ouvido falar da fonte dos amores na linda quinta das lágrimas... à parte de ser património da nossa historia e à parte de ser parte da minha historia... POr favor!!
oh kalinka das duas uma ou não és portuguesa ou conheces o hotel das revistas mas é!! Desculpa se te ofendo mas, ofendeste-me primeiro e como por mero acaso vi este blog não pude deixar de me defender.
Fica bem e aconselho-te vivamente a ires lá outra vez com tempo, a dormires no hotel e a desfrutares dos imensos prazeres que ali conhecerás. Saude!