sábado, 31 de janeiro de 2009

Avenida Emídio Navarro

Cheias na Avenida Emídio Navarro
Cerimónia militar junto à Estação Nova (Coimbra A)
A mesma zona, ainda sem o edifício da Estação

Hotel Avenida na Avenida Emídio Navarro

Fotografia da mesma zona ainda sem Hotel Astória
Avenida Emídio Navarro junto ao rio Mondego
Avenida Emídio Navarro e Hotel Astória
Em 1888, a rua que ligava o porto dos Bentos, local onde atracavam as barcas serranas junto ao actual Parque da cidade, à Estação de caminhos-de-ferro (actual Coimbra-A) passou a chamar-se Avenida Emídio Navarro.
Coimbra homenageava assim o homem que foi ministro das Obras Públicas durante três anos, tendo sido responsável por várias reformas nessa área, como o primeiro Recenseamento Agrícola e Pecuário do país.
Na área do ensino, a sua intervenção deu lugar à criação de cinco Escolas Agrícolas, incluindo a de Viseu, cinco Escolas Industriais e nove Escolas Elementares de Desenho Industrial.
Tudo isto ainda no tempo da Monarquia (nasceu em 1844 e morreu em 1905), o que me leva a pensar o porquê do ódio que alguns têm a este regime (eu sou republicano assumido), afirmando que, naquele tempo nada havia de bom. Basta ver a vergonha que há no dia 5 de Outubro, em afirmar que também se comemora, nesse dia, a assinatura do Tratado de Zamora que marcou a nossa independência como país. Com o aproximar do centenário a coisa só vai tender a piorar.
A este propósito, lembrei-me de um episódio passado numa aula minha.
Pedi voluntários para dois grupos a fim de realizarmos um frente a frente Monarquia versus República, atribundo a cada um a defesa de um ideal: um grupo seria composto por adeptos da monarquia e outro adeptos da república, discussão moderada por outra aluna.
Uma espécie de Prós e Contras (alguns anos antes do programa), mas para melhor, porque havia mesmo debate.
Dadas as indicações, dei-lhes uma semana para a pesquisa. Entretanto, os outros tinham de se preparar para colocar as perguntas.
Começada a aula, lá teve início o debate com a moderadora em bom plano, esgrimindo os alunos os seus argumentos, alguns bem interessantes, ao mesmo tempo que iam respondendo, conforme podiam, às perguntas da assistência.
Pouco a pouco foram-se emplgando e a coisa começou quase a ganhar foros de questão pessoal, entre alguns. Eis senão quando, um aluno do campo monárquico põe fim à discussão com a seguinte afirmação:
"Para mim a monarquia é melhor, pois no tempo dos reis não havia SIDA!"
Foi tiro e queda. Estava encontrada a cura para a Sida: basta mudar o regime. O virus, pelos vistos, gosta é da República, pois pode andar por aí à vontade. Será que na Inglaterra ou em Espanha não há SIDA?
Esclarecida a questão lá demos por encerrado o debate que meteu ainda buracos nas estradas e outras pérolas do género.
Voltando ao tema do post, e como conclusão, resta dizer que ao longo desta Avenida se instalaram alguns locais emblemáticos da nossa cidade como o Coimbra Hotel, o Hotel Internacional, o cinema Tivoli, etc. Resta hoje o Hotel Astória e pouco mais.

22 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

Tozé,
Essa riqueza que nos conta tem o poder de nos levar ao passado.
Como se fosse possivel entrar num tunél do tempo e viver um pouca dessa história.
Bom demais aprender tanto aqui.
Abraços

Tozé Franco disse...

Olá Beija-flor.
Fico satisfeito com o facto de haver pessaos que aprendem algo com aquilo que aqui partilho. Só por isso já valeu a pena ter criado este espaço. Obrigado.
Um abraço.

Gata Verde disse...

Que pena que se perderam no tempo...

beijinhos

Capriccio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Capriccio disse...

O meu filho gosta muito de história, através dele e do Tozé tenho aprendido algumas coisas interesantes.
Abraço :)

redonda disse...

Gostei das fotografias e da hístória.
Agora vim só num instante. Depois vou tentar arranjar tempo para voltar e ler mais.
Uma boa semana e um beijinho
Gábi

Nuno disse...

A tua colecção de fotografias antigas é verdadeiramente fantástica!

Um abraço,
Nuno.

Professorinha disse...

Aqui em Viseu também temos uma Avenida Emídio Navarro... até temos uma escola... Não fica é tão inundada :)


Beijos

Zica Cabral disse...

adorei as fotos e adorei tb a conclusao do debate.
Quanto a republica versus monarquia, tenho a minha opiniao pessoal acerca do assunto. Acho que cada pais tem o regime que mais se apropria as suas caracteristicas. ao sou monarquica mas adirava imenso o Sr D. Carlos como pessoa. Cientista, artista, visionario, era uma homem cheio de talentos e de requintada educacao e cultura. Foi um crime hediondo a forma como morreu. Ele e o principe D. Luis Felipe.
Um beijinho
Zica

Belisa disse...

OLá
Eu gosto de fotos antigas e acho interessante vermos a sua evolução. Gostei muito de ler este post!
Agradeço a visita e as suas palavras.
Beijos estrelados

Tozé Franco disse...

OLá Gata Verde.
Tendo açguma saudades mas não sou saudosista.
FAz parte das minhas memórias tudo o que vi e vivi.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Capriccio.
Fico feliz por gostar de HIstória, pois um povo sem história é um povo sem futuro.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

OLá Redonda.
Bem vinda e volte sempre.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Nuno.
Ainda tenho muitas guardadas.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

OLá Professorinha.
Com a água que os alunos metem a somar à de alguns responsáveis pela Educação, não sei, não.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Zica.
Para mim, as ideias debatem-se com palavras e não com armas. Acho uma vergonha a promoção que se fez em Portugal aos regicidas.
Um abraço.

Tozé Franco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tozé Franco disse...

Olá Belisa
Obrigado pela visita. Volte sempre.
Um abraço.

Hugo disse...

Uma boa colecção de postai antigos

Boa continuação neste trabalho de memoria

Cumprimentos

Tozé Franco disse...

Olá Hugo.
ja visitei o seu blogue e gostei. Também eu gosto muito de fotografias antigas. Em post's anteriores há muitas mais.
Um abraço e volte sempre.

Eduardo Cerqueira disse...

Gostei do seu blogue e do conteúdo. Abraço desde Paredes de Coura!

Tozé Franco disse...

OLá Eduardo.
Bem-vindo.
Espero continuar a vê-lo por aqui.
Um abraço.