domingo, 11 de janeiro de 2009

As francesinhas e não só...

Este Natal recebi de prenda um conjunto de telefones sem fio... Ou melhor dizendo, quase que recebi, pois quando abri a caixa que os devia conter, verifiquei, com grande espanto, que a mesma estava vazia. Dos telefones, nem rasto. Contactada a casa que os tinha vendido, foi-me dito que a caixa em questão era a dos telefones que estavm em exposição, que a funcionária d caixa por lapso não tinha reparado aquando do pagamento e que se propunham enviar-mos pelo correio desde que pagasse os portes (!). Perante esta proposta, no mínimo absurda, retorqui que iria resolver o problema pessoalmente ao Porto, com o gerente da casa, o que fiz.
Uma vez no Porto, e estando na rua de Santa Catarina, resolvi ir experimentar umas francesinhas (deve ler-se com pronúncia acentuada) que me tinham aconselhado, no snack-bar Santiago, situado pertinho do Coliseu da cidade, na rua Passos Manuel. Provei e recomendo. Apesar do aspecto de snack, garanto-vos que as francesinhas são de muto boa qualidade.
Um pouco de história:
As francesinhas nasceram no Porto, “inventadas” na década de sessenta, por um emigrante regressado de França, que decidiu introduzir alguma inovação num prato tipicamente francês (croque-monsier), adicionando-lhe um molho bem ao sabor português. Garanto-vos que, com esta transformação, são muito melhores que o prato que lhes deu origem.
Pode-se dizer que, além das tripas, o prato mais conhecido do Porto, as francesinhas fazem também já parte do imaginário tripeiro.
É hoje possível encontrá-las em qualquer restaurante da cidade e até já no regime de franchising (as primeiras são, quase sempre, melhores).

Aqui vai a receita:
Ingredientes:
Molho:
Uma cerveja; um caldo de carne; duas folhas de louro; uma colher de sopa de margarina; um cálice de brandy ou vinho do porto; uma colher de sopa de farinha maizena; duas colheres de sopa de polpa de tomate; um dl de leite; piripiri. (Quem for muito preguiçoso ou pouco dado às artes culinárias, há nos hipermercados um molho já preparado, muito razoável).
Francesinha:
Duas fatias de pão de forma; fiambre; queijo; salsichas; linguiça e escalope de vitela ou porco.

Preparação:
Molho:
Dissolver bem a maizena com o leite e juntar os restantes ingredientes. Com a varinha mágica triturar, levar ao lume até ferver e engrossar um pouco, mexendo para não pegar no fundo.
Francesinha:
Fazer uma sandes com os ingredientes e cobrir com queijo. Colocar no centro de um prato e regar com o molho. Levar ao forno a gratinar

P.S.: Na Senhora da Hora, relativamente perto do Norte Shopping, há uma outra casa muito modesta, O Paquete, que também serve umas francesinhas de se lhes tirar o chapéu.

19 comentários:

Gata Verde disse...

Ainda bem que houve esse "lapso"!!
Também gosto bastante de Francesinhas!

Beijocas

Carlos Ponte disse...

As melhores francesinhas do mundo comi-as eu no Café Luso na Praça Carlos Alberto. Quando muitos anos depois, ainda com aquele gostinho na boca, lá regressei, o café já não existia. Perguntei a uma vizinha que me disse que o Afonso, era esse nome do dono, tinha falecido. Até hoje não voltei a encontrar francesinhas como essas. Continuarei a tentar e talvez "passe" pelas suas sugestões.

Codinome Beija-Flor disse...

Tozé,
Só fico aqui pensando que um dia vou visitar esses lugares todos que você nos apresenta.
Mas o medo vai ser da balança, após me fartar das delícias que vocês também apresenta e faz questão de torturar a gente (risos).
Abraços

** A Música ao fundo é linda

olho_azul disse...

Um verdadeiro pitéu!!!!
Quanto à neve em Coimbra é pena (a falta dela). Com certeza a cidade ficaria bem mais bela, de branco vestida!
Aproveito, porque ainda não o fiz, para lhe desejar um Bom Ano de 2009!
Beijos

Nuno disse...

Tozé, espero que tenhas resolvido essa situação ímpar e tenhas os telefones que são teus por direito. Acontece-nos cada uma de vez em quando que nem imaginando elas aconteceriam. Enfim...

Quanto às Francesinhas, é bem verdade que bem podem ser consideradas um manjar dos deuses. Como diziam no anúncio a um super-mercado: "Gosto muito"! :) Obrigado pela receita. Ainda não me aventurei a fazer uma francesinha, mas um dia destes... Não vou ao Porto muitas vezes (aliás, conta-se pelos dedos de uma mão as vezes que lá fui), mas hei-de ter em atenção a recomendação que deste. :)

Um abraço,
Nuno.

Professorinha disse...

Para uma história que começa com uma chatice... até que acabou bem saborosa!!

Beijos

Lia Noronha disse...

Abraços d e feliz 2009 pra ti.
Por aqui td agradável como sempre!

Tozé Franco disse...

Olá Gata VERDE.
Há males que vêm por bem. Se não fosse istoa lá ia menos uma francesinha.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Carlos.
Por isso se diz que avida é uma busca constante, quanto mais não seja, de francesinhas.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Codinome Beija-flor.
Portugal cá está à espera. O mesmo digo eu do Brsail. Nunca mais chega a hora de conhecer esse país.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Ollho Azul.
^Lembro-me de ter nevado em Coimbra, andava eu na Faculdade.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

OLá Nuno.
Acredita que se há cidade que vale a pena, é o Porto de certeza.
Um amigo espanhol, professor em Madrid e que por aqui costuma vir com alunos, foi comigo ao Porto e disse-me que ra uma cidade com "sabor". Gostei da expressão e para mais vinda d euma pessoa que conhece o mundo inteiro.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

OLá Professorinha.
Os fins justificam os princípios. Não é assim, mas não faz mal.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Lia.
Bom 2009 para ti.
Um abraço.

morenocris disse...

que presente... rsrs.

Tozé, adoro francesinha. meu marido, já falecido e era português, fazia em casa, de vez em quando. adoro o Porto. aliás, tudo de PT. minha família tb é toda daí. inclusive minha tia está em belém e hoje almoçamos por aqui. que maravilha. este ano pretendo passar por ai e te visitar. vamos ver se dá certo.

beijos.

Tozé Franco disse...

Olá Cris.
A francesinha, ou outro petisco qualquer, cá está à espera.
Um abraço.

Pandora disse...

Só comi francesinhas uma vez e foi no gêres, não sei se tinha qualidade ou não, mas gostei.

Boa semana

Tozé Franco disse...

Olá Pandora.
Saõ muito boas, sen dúvida, e uma bomba calórica. Vale que já passei a fase de olhar para o espelho.
Um abraço.

Ana Ramon disse...

:)))
Vou ter que experimentar esta tua receita. Ando numa fase de descobrir novos sabores e aromas para empratar (como se diz agora) e por isso muito atenta a todas as receitas dos amigos.
Quanto às fatias são mesmo um regalo para os olhos e para a boca. Foi um amigo que me ensinou a fazer e tem sido um sucesso.
Beijinho grande