segunda-feira, 7 de junho de 2010

O Estado Laico

Que o Estado deve ser laico, disso não tenho qualquer dúvida.
Anti-religioso, ou mais propriamente anti-católico, como às vezes parece, já tenho as mais fundadas dúvidas.
Mas, por mais incrível que pareça, acho o nosso Estado religoso, ou pelo menos que parece acreditar em milagres, se não vejamos dois exemplos:
- Sabiam que uma Certidão de Óbito tem uma validade de 6 meses? Como não acredito que seja para ganhar dinheiro, só me resta a hipótese de o Estado acreditar na ressureição e daí a validade de seis meses (3 dias dava muito nas vistas!). Não há muito tempo, um tribunal português convocava um cidadão, na qualidade de defunto, para depor. Já estou a imaginar a cena....
- Acreditar que um aluno do 8.º ano acaba as aulas na sexta-feira, que sabe as suas classificações na segunda seguinte tendo ficado reprovado, retido, chumbado (escolham a que mais vos agradar), que se inscreve na terça-feira para fazer exame e que logo na quarta está a realizar prova de Língua Portuguesa de matéria que não deu, que na sexta repete a dose a Matemática (nem vou aqui falar dos exames a nível de escola às outras disciplinas) e que consegue passar, é ou não acreditar em milagres? Melhor que isto, só os deputados da nossa praça e os "professores" sindicalistas apenas terem reparado nisto agora, quando a coisa está escrita há meses.
Ainda hoje, na aula de História A (11.º ano), lemos alguns textos da Campanha Alegre, de Eça de Queirós, e não é que parecia que os textos falavam da actualidade. Por muito que nos queiram modernizar com planos tecnológicos, há coisas que, passados mais de 100 anos, continuam na mesma.
Fiquem bem. As fotografias antigas seguem dentro de momentos.

5 comentários:

Fernanda disse...

Olá Tozé

Essa da Certidão de Óbito não sabia.
As novas regras para os alunos do
8º ano, nem quero acreditar, só me apetece dizer que, o Estado é um atraso de vida!

Abraço :)

aminhapele disse...

Estou de acordo,na generalidade.
Desconhecia,e achei delicioso,o prazo de validade das certidões de óbito!
Quanto às passagens do 8º para o 10º tenho algumas dúvidas.
Como sabe,nessa área só tenho conhecimento pelos jornais e televisão.Essas notícias põem o enfoque em avançar um ano e não em desconhecimento das matérias.
Se for como dizem,não vejo inconveniente em que um aluno,demonstrando a sua preparação,dê esse salto.
Ainda há pouco,numa reportagem de um jornal tido como sério,se falava de alunos da UC com 11,12 e 13 anos.
Claro que serão excepções.Mas parece-me que devem ser contempladas.
Quanto à laicidade,parece-me que disse tudo.Porque será que os colégios religiosos têm tão grande procura?Não me consta que existam tantas famílias religiosas...
Um abraço.

as-nunes disse...

Viva Tozé

Faz referência à actualidade do que Eça disse no seu tempo. É bem verdade, para quem o tiver lido com um mínimo de atenção, verifica facilmente que as imagens sociais que ele pintava com tanta mestria são perfeitamente actuais. É só mudar o vestuário e a aligeirar muito o vocabulário!...

O mesmo se pode dizer de Alexandre Herculano, cujo bicentenário do seu nascimento se está (ou deveria estar!?) a comemorar.
Vá lá, que o PR Cavaco lembrou-se de o citar no discurso que fez no 10 de Junho. Só se lamenta é que tenha "borrado" a pintura quando se pôs com a lamechice de dizer que "a situação do País é insustentável". Então um Presidente, no dia de Portugal, vai animar as hostes com "verdades" destas? em plena sessão solene? Com todos nós a ouvir? Nós que sabemos bem dessas coisas, até porque o estamos já a sentir na pele? Era preciso estar a desanimar-nos ainda mais?
Ora comecem por perguntar aos pensionistas! Os que já foram ao banco saber quanto é que lá puseram da sua pensão, vão ver que em vez de serem aumentados recebem menos do que recebiam no ano passado!...

Pois. Mas é como diz.
Isto só visto que contado ninguém acredita!

Um abraço
António

al cardoso disse...

Este "nosso" (des)governo e o maximo!!!

Ca fico a espera de fotografias e de sabores!

Um abraco de amizade dalgodrense.

citadinokane disse...

Tozé,
As coisas não são muito diferentes por aqui.
Mas, a certidão de óbito... Ahahaha...
Saudades de ti, virei mais vezes ao "Histórias e sabores".

abraços,
Pedro