segunda-feira, 17 de agosto de 2009

As Caralhotas da Caldeira


Depois de uma semana passada no mar, voltei à terra natal.
Para variar, nada como relatar os acontecimentos começando pelo fim.
Assim, no Domingo, dia de chegada, para além da tristeza por ter acabado uma semana de férias para mais tarde recordar, realço a minha passagem por Almeirim.
Depois de uma semana a trabalhar para a engorda, para não variar, fomos petiscar alguma coisa antes de almoçar.
Como é hábito, sempre que paramos em Almeirim, fomos visitar a D. Emília Cristina, na rua de Moçambique, em Almeirim, autora das famosas Caralhotas da Caldeira.
Para que não haja qualquer dúvida, caralhotas era a designação popular para os borbotos das camisolas. Como os restos que ficavam nos alguidares onde era preparada a massa faziam lembrar borbotos, daí a designação.
Então o que são as caralhotas?
As caralhotas são bolas de pão caseiro, cozidas em forno de lenha.
Mas com qualquer criador que se preze, D. Emília criou algumas variantes e assim aconselho vivamente o Pão com Chouriço, o Pão com Farinheira, o Pão com Enchidos, a Broa de Milho, o Pão com Canela e Maçã e tudo o mais que por lá se encontra.
Brevemente teremos, assim nos foi prometido, a Bôla de Milho com enchidos. A ver vamos.
A D. Emília é, ainda, uma excelente conversadora e disposta a partilhar connosco os segredos do seu mester. Vão ver que darão o tempo por bem empregue.
Após estes aperitivos, ainda tentámos almoçar no Forno, uma Sopa de Pedra e uma Bacalhau Dourado, mas rendemo-nos após a Sopa.

5 comentários:

Maria disse...

Já estava com saudades dos teus posts gastronómicos.
Eu fico-me só pela sopa da pedra, deixo a caralhota para o dia seguinte... e o bacalhau dourado para o outro (se estiver ainda por lá...)
:)))

Abraço

Pitanga Doce disse...

Eu estava aqui a pensar se depois destes aperitivos ainda teriam apetite para o almoço!!! Mas vejo que não. hehehe

Almeirim, é? Vou anotar.

Anónimo disse...

Também eu tive a feliz oportunidade de já ter parado na discreta padaria da D. Emília. Vantagem de quem padece quase uma hora para poder almoçar num dos vários bons restaurantes de Almeirim... É sem a mais pequena dúvida uma paragem obrigatória para quem passar por Almeirim. As razões não podiam ser melhores:a diversidade de sabores criados a partir do pão; o entusiasmo contagiante emanado pela paixão pelo seu mester e a jovialidade e simpatia das suas palavras.
Caro António José, reconheça-se, anda pelos bons caminhos!
Abraço
NM

EDUARDO POISL disse...

FELICIDADE!

Quando o vento bater à sua porta,
Abra devagar,
Para deixa-lo entrar
Pense quanto de bom poderá receber,
Se estiver pronto para tal,
Mas as conquistas diárias
Estamos sempre apostando tudo
e a cada recomeço,
Percebemos, o quanto é gratificante,
Estar pôr perto de quem se gosta de verdade,
Sua simpatia,
Corresponde o momento de felicidade
e transborda de alegria
o coração de quem recebe.

(Roseli Alcântara)

Desejo toda a felicidade neste final de semana,
Um grande abraço.

citadinokane disse...

Tozé,
Estou em dieta rigorosa, sério! Acho que quero conhecer as delícias que a D. Emília produz...
depois retomo a dieta, né?!
Ô fome!
abraços,
Pedro