segunda-feira, 27 de Outubro de 2008

Roteiro de Viagem - 7.º dia (Tours - Angers)

De volta a França, eis-nos a partir para o 7.º dia de viagem.
O dia começou com uma pequena volta por Tours, de manhã, antes de rumarmos a Villandry.

Aqui esperava-nos um magnífico castelo rodeado do maior e mais bonito jardim que já visitei: o Château de Villandry (9 euros para visitar o castelo e os jardins)
As terras onde foi erguido o Château eram conhecidas como Colombier até ao século XVII. Os jardins do castelo são perfeitas obras primas de arquitectura geométrica, constituídos por arbustos e produtos hortícolas, como alfaces, couves, alhos e ervas de cheiros.
A sua recuperação deve-se a um médico espanhol, de nome Carvallo, que o adquiriu em 1906, qiuando estava para ser demolido. Acabou por abandonar a sua carreira para se dedicar à recuperação do castelo e dos seus jardins. Acho que valeu a pena.

Partimos, depois, para Azay-le-Rideau, onde almoçámos umas moules com molho de natas e cogumelos de se lhes tirar o chapéu.
Satisfeito o estômago, visitámos o castelo, mesmo ali ao lado, construído sobre o rio Indre, entre os séculos XII e XV. Este monumento (entrada a 7,5€) começou por ser um forte e foi somente no reinado de Francisco I, com o renascimento que, entre 1518 e 1527, o actual edifício foi construído por Gilles Berthelot, tesoureiro de França e Prefeito de Tours.
Merecem realce a escadaria em madeira, a mobília da renascença e o reflexo do castelo no lago em formato de meia-lua que fica à sua frente.

De seguida, e antes do final do dia, fomos ainda ao castelo de Ussé que inspirou o conto de fadas “A Bela Adormecida”. Este castelo particular tem uma bela capela exterior e umas caves onde era guardado o vinho aí produzido. De referir que o castelo apresenta, por iniciativa dos donos, exposições temáticas. A exposta era sobre a moda dos anos 20, havendo manequins, por todo o castelo, com roupa dessa época.

Acabada a visita, seguimos para Angers, onde chegámos já de noite. Acabámos a "jantar" num Quick, uma espécie de McDonald's em versão francesa.

quarta-feira, 22 de Outubro de 2008

Uma visita inesperada...



Viver no campo tem destas coisas.
Eis uma das visitas que recebi nos últimos dias: uma lagarta, bem gordinha e colorida.
Isto, para além de dezenas de grilos que teimam, todas as manhãs, em entrar na minha garagem.
Por último, o grande companheiro cá de casa que já vai a caminho dos 14 anos, Rufi de seu nome.

segunda-feira, 13 de Outubro de 2008

"Istórias da Inducação"

Resolvi partilhar convosco um mail que me enviaram.
Quem sabe se, um dia destes, não temos que fazer a mesma coisa e colocar algo parecido com isto no atendedor de chamadas das nossas escolas.

"Esta é a mensagem que o pessoal docente da Escola Secundária de Pacific Palisades (Califórnia) aprovou unanimemente que deveria ser gravada no atendedor de chamadas da escola.

Foi o resultado de a escola ter implementado medidas que exigiam aos alunos e aos pais que fossem responsáveis pelas faltas dos estudantes e pelas faltas de trabalho de casa.

A escola e os professores estão a ser processados por pais que querem que as notas que levam ao chumbo dos seus filhos sejam alteradas para notas que os passem - ainda que esses miúdos tenham faltado 15 a 30 vezes num semestre e não tenho realizado trabalhos escolares suficientes para poderem ter positiva.

AQUI VAI A MENSAGEM GRAVADA:

Olá! Foi direccionado para o atendedor automático da escola. De forma a podermos ajudá-lo a falar com a pessoa certa, por favor ouça todas as opções antes de fazer a sua selecção:

- Para mentir sobre a justificação das faltas do seu filho, pressione a tecla 1

- Para inventar uma desculpa sobre porque é que o seu filho não fez o seu trabalho, tecla 2

- Para se queixar sobre o que nós fazemos, tecla 3

- Para insultar os professores, tecla 4

- Para saber por que razão não recebeu determinada informação que já estava referida no boletim informativo ou em diversos documentos que lhe enviámos, tecla 5

- Se quiser que lhe criemos a sua criança, tecla 6

- Se quiser agarrar, tocar, esbofetear ou agredir alguém, tecla 7

- Para pedir um professor novo, pela terceira vez este ano, tecla 8

- Para se queixar dos transportes escolares, tecla 9

- Para se queixar dos almoços fornecidos pela escola, tecla 0

- Se já compreendeu que este é o mundo real e que a sua criança deve ser responsabilizada e responsável pelo seu comportamento, pelo seu trabalho na aula, pelos seus tpcs, e que a culpa da falta de esforço do seu filho não é culpa do professor, desligue e tenha um bom dia!"

terça-feira, 7 de Outubro de 2008

Roteiro de Viagem: Blois - Tours (6.º dia)

Castelo de Blois

Castelo de Blois


Capela no Castelo de Amboise


A "baixa" de Amboise


Castelo de Chenonceau

Castelo de Chenonceau

Salão que se estende sobre o rio

Cozinha do castelo

Tours (parte antiga da cidade)
Arco-iris em Tours

Catedral de Tours

Depois de uma breve interrupção, eis-nos de volta a França.
O 6.º dia iniciou-se com a visita ao Castelo de Blois onde, na véspera, tinhamos assistido a um mediano espectáculo de cor e luz que não deixou saudades.

Visitado o castelo, partimos em direcção a Amboise onde nos esperava o castelo em que viveu Leonardo Da Vinci e onde está enterrado, na capela presente na fotografia. Este castelo está num local com umas vistas magníficas mas, como muitos outros, foi amputado de uma parte importante quando deixou de ser local de estadia da família real francesa.

Aproveitámos para almoçar num restaurante propriedade de muçulmanos, onde não foi possível beber uma cerveja, mas em que, nas várias televisões existentes, passavam videoclips, com moçoilas quase como vieram ao mundo. Opções!

Para a tarde estava guardada a melhor visita: o Castelo de Chenonceau.

Este castelo é também conhecido como o castelo das mulheres, devido à história de disputa de propriedade entre a esposa do Rei Henrique II, Catarina de Medicis, e de sua amante Diana de Poitiers. O castelo foi construído às margens do Rio Chér (um dos afluentes do rio Loire), sendo constituído por um corpo principal que foi posteriormente ampliado com a construção do salão de 60 metros de comprimento que se estende, apoiado em 4 arcos, sobre o rio.

Como curiosidade refira-se que este salão foi usado como hospital militar de campanha durante a 1.ª Guerra Mundial.
Curiosa é também a cozinha do castelo com acesso directo à água do rio.

Visitado o castelo e os seus jardins, seguimos para Tours, cidade que foi capital de França durante um largo período, e que tem uma zona antiga digna de visita. Pena que, à semelhança do resto de França, a partir das 8/9 horas não se veja quase ninguém na rua.

Tivemos ainda tempo, depois de jantar, para ver um fabuloso arco-iris e visitar a catedral.

Como o tempo não estava pelos ajustes (chovia e fazia muito frio) e não havia qualquer tipo de movida (é por isso que gosto de Espanha!), fomos para a cama com as galinhas.

P.S.: Quando era pequeno as aulas começavam hoje, dia 7 de Outubro. Isso é que eram tempos.