terça-feira, 7 de outubro de 2008

Roteiro de Viagem: Blois - Tours (6.º dia)

Castelo de Blois

Castelo de Blois


Capela no Castelo de Amboise


A "baixa" de Amboise


Castelo de Chenonceau

Castelo de Chenonceau

Salão que se estende sobre o rio

Cozinha do castelo

Tours (parte antiga da cidade)
Arco-iris em Tours

Catedral de Tours

Depois de uma breve interrupção, eis-nos de volta a França.
O 6.º dia iniciou-se com a visita ao Castelo de Blois onde, na véspera, tinhamos assistido a um mediano espectáculo de cor e luz que não deixou saudades.

Visitado o castelo, partimos em direcção a Amboise onde nos esperava o castelo em que viveu Leonardo Da Vinci e onde está enterrado, na capela presente na fotografia. Este castelo está num local com umas vistas magníficas mas, como muitos outros, foi amputado de uma parte importante quando deixou de ser local de estadia da família real francesa.

Aproveitámos para almoçar num restaurante propriedade de muçulmanos, onde não foi possível beber uma cerveja, mas em que, nas várias televisões existentes, passavam videoclips, com moçoilas quase como vieram ao mundo. Opções!

Para a tarde estava guardada a melhor visita: o Castelo de Chenonceau.

Este castelo é também conhecido como o castelo das mulheres, devido à história de disputa de propriedade entre a esposa do Rei Henrique II, Catarina de Medicis, e de sua amante Diana de Poitiers. O castelo foi construído às margens do Rio Chér (um dos afluentes do rio Loire), sendo constituído por um corpo principal que foi posteriormente ampliado com a construção do salão de 60 metros de comprimento que se estende, apoiado em 4 arcos, sobre o rio.

Como curiosidade refira-se que este salão foi usado como hospital militar de campanha durante a 1.ª Guerra Mundial.
Curiosa é também a cozinha do castelo com acesso directo à água do rio.

Visitado o castelo e os seus jardins, seguimos para Tours, cidade que foi capital de França durante um largo período, e que tem uma zona antiga digna de visita. Pena que, à semelhança do resto de França, a partir das 8/9 horas não se veja quase ninguém na rua.

Tivemos ainda tempo, depois de jantar, para ver um fabuloso arco-iris e visitar a catedral.

Como o tempo não estava pelos ajustes (chovia e fazia muito frio) e não havia qualquer tipo de movida (é por isso que gosto de Espanha!), fomos para a cama com as galinhas.

P.S.: Quando era pequeno as aulas começavam hoje, dia 7 de Outubro. Isso é que eram tempos.

9 comentários:

Pitanga Doce disse...

Mas isto aqui está muito chique. Só castelos!!!

abraços de cá

al cardoso disse...

Muito bonito!
Que inveja (no bom sentido esta visto!)

Um abraco dalgodrense.

Gata Verde disse...

Imagens belíssimas!

Um grande beijinhos de fds

Rafeiro Perfumado disse...

Belas fotos, Tozé. A minha jove já me tem desafiado para fazer uma viagem assim, de carro, mas não gosto muito de conduzir.

Abraço!

Tozé Franco disse...

Olá Pitanga.
Pena não ter conseguido escolhar um para mim.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Al Cardoso.
Se algum dia tiver oportunidade vai ver que não se arrepende.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Gata Verde.
Ao vivo ainda é melhor.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Rafeiro.
Veja lá se se dixa convencer. Olhe ue vale a pena.
Um abraço.

Emanuela disse...

As fotos estão deveras, muito lindas!
Abraços