sexta-feira, 11 de Julho de 2008

Uma estória engraçada.

Esta semana tive conhecimento de uma estória engraçada. Provavelmente enganei-me no adjectivo, mas deixo isso ao vosso critério.
Uma Junta de Freguesia, atribuía há vários anos, um prémio aos alunos aí residentes com melhores notas. Uma atitude louvável, numa sociedade que parece querer promover a mediocridade, a falta de esforço e o facilitismo.
Mas parece que agora, o regulamento do prémio foi alterado, passando a contemplar apenas os alunos, com determinado rendimento, que estudem no concelho a que pertence a dita freguesia.
Parece-me a mim, que não sou especialista, que, com essa medida, se atropelam os princípios mais básicos da nossa Constituição, no que diz respeito à igualdade entre cidadãos.
Não me parece possível conciliar isto com a liberdade de escolha que os pais devem ter, no que à escola dos filhos diz respeito.
Parece-me pois interessante colocar algumas questões:
Um dia destes separam os nascidos na freguesia dos que nasceram fora?
E os pais que residindo na freguesia e trabalham fora do concelho a que pertence a dita cuja? Deixarão de pagar Imposto Municipal de Imóveis? Parece-me de elementar justiça que sejam dispensados dessa obrigação. É, aliás, com essas e outras receitas locais (e não só) que se pagam os prémios atribuídos.
Já agora, o voto de uns é mais válido que o de outros? Valerá o dobro? Sugiro que seja como em alguns clubes de futebol em que os votos de uns valem por 20, os de outros por 5 e, por último, os de alguns por 1.
Temos assim habitantes de 1.ª e de 2.ª categoria. Um dia destes chegarão os de 3.ª!
Quando penso que já nada me surpreende, eis senão quando...
P.S.: Quero dedicar a música que se está a ouvir, a todos aqueles amigos blogueiros que tenho do outro lado do Atlântico e que têm a paciência de continuar a passar por aqui para ver este blogue.
Um bem-haja para todos vocês.

29 comentários:

zeca gallo disse...

Parabéns pelo seu blogue.
A denúncia é muito pertinente e bem exposta.
A música da Garçonete da Casa do Fado é fantástica. Um dia destes ainda lha roubo.
Bom fim-de-semana

Maria disse...

É uma questão mais que pertinente, é mesmo perigosa.
Vamos ver até quando e onde somos surpreendidos com violações de direitos constitucionais.

Um abraço, Tozé

L & E disse...

Diria antes uma estória curiosa...

Bom fim-de-semana!

Pitanga Doce disse...

Amigo Tozé, "no Brasil casa de fado não seria mole assim". Ai,não. Pedir silêncio quando todos estão a comer e beber, fica difícil. A Letícia do Som&Tom que o diga. E olhe que ela não canta fado!

abraços com fados em Coimbra.

Codinome Beija-Flor disse...

A Blogueira aqui, desse lado do Atlântico fica muito honrada pela música dedicada.
Bjos pra vcs deste lado ai.

citadinokane disse...

Caro Tozé,
Atravessarei o Atlântico nas asas da beija-flor, sempre!
Um forte abraço meu amigo de além-mar.
Pedro

as-nunes disse...

De facto, Tozé, a estória é engraçada mas não tem graça nenhuma. Inadmissível o critério adoptado por essa Junta.
Manias...
Um grande abraço e boas férias.
António

Tozé Franco disse...

Olá Zeca Gallo.
Obrigado pela visita. Já respondi ao seu desafio.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Maria.
Um dia destes criam uma universidade na terra para poderem descriminar os que estudam fora.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá L & e.
Curisamente escandalosa, diria eu.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Pitanga.
Sempre gostava de ver. Literalmente falando, pois era sinal que tinha ido ao Brasil.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Beija-flor.
Obrigado. Espero que tenha gostado.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Pedro.
Será bem-vindo.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá António.
Há quem acha que resolve certos problemas com medidas administrativas. Coitados.
Um abraço.

aminhapele disse...

Boa malha!
A música também é linda para os blogueiros do lado de cá...

Tozé Franco disse...

Olá Aminhapele.
Quando acho que chegámos ao fim do poço, surprendo-me sempre, porque é possível continuar a descer.
Um abraço.

Rafeiro Perfumado disse...

Uma vez que se trata de um prémio local, não me choca que seja atribuído a alunos locais. Desde que não seja sempre o filho do Presidente da Junta a ganhar... ;)

Abraço!

Xico Rocha disse...

Meu caro Tozé, Está difícil exterminar a mediocridade, inicialmente teremos que acabar com a dita junta.
Obrigado pela música.
Um dileto abraço.
Xico Rocha

Professorinha disse...

Neste país os habitantes de 1ª, 2ª e 3ª sempre existiram... agora é que se vÊ mais...

Beijos

Tozé Franco disse...

Rafeiro Perfumado:
Qaunto aos alunos locais, nada a opor, desde que todos os alunos locais, independentemente da escola onde estudam. Quanto ao filho do Presidente, se atingir o patamar exigido deve receber como os outro.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Oá Xico.
O problema é que em muitos lados ela é promovida.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Professorinha.
Não quero acreditar que assim seja, mas já vou perdendo a esperança.
Um abraço

Clarice disse...

Alguém andou visitando a Índia, ao que parece. Castas e camadas sociais, putz!
Ah, obrigada pela música(muito interessante). Não é sacrifício nenhum visitar seu blogue.
Abraço.

Leticia Gabian disse...

Caro Tozé,
Vim agradecer a música dedicada a nós do lado de cá. Obrigada mesmo, pelo carinho.

Quem dera nunca fosse preciso pedir silêncio!
Se aí as pessoas param para escutar o fado, do lado de cá, meu amigo, a coisa é bem diferente... Quem canta, às vezes nem consegue escutar a própria voz... É uma triste aliança da falta de educação doméstica com os arroubos etílicos.
Mas...Deixa pra lá!

Grande abraço

al cardoso disse...

Da musica gostei, ja quanto dessas mudancas de regulamentos, nem por isso!

Um abraco de amizade dalgodrense.

Tozé Franco disse...

Olá Clarice.
Obrigado pelas palavras simpáticas.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Letícia.
Foi com muito gosto.
Pena que nem todos tenham educação e sensibilidade pera a música.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Letícia.
Foi com muito gosto.
Pena que nem todos tenham educação e sensibilidade pera a música.
Um abraço.

Tozé Franco disse...

Olá Al.
Descobri este grupo através de uma migo. Embora não sendo grande apreciador de fado de Lisboa, gostei deste grupo.
Um abraço.