sábado, 10 de julho de 2010

Rainha Santa

De dois em dois anos, Coimbra anima-se com a festa em honra da sua padroeira, a Rainha Santa Isabel, conhecida, entre outros milagres, pelo das rosas.
No entanto, penso que os principais motivos da sua santidade se devem ao amor que nutria pelos pobres e à luta que travou para pôr fim as guerras que marcaram os reinados do seu marido (D. Dinis) e do seu filho (D. Afonso IV). Deveria, por isso, ser reconhecida com Rainha da Paz.
De facto, o milagre original (das rosas) deve ser atribuído a uma sua tia-avó, Isabel da Hungria (imagem da direita). Esta Isabel, que foi rainha regente da Hungria, também se celebrizou pelo seu amor aos pobres, tendo sido acusada de má gestão e afastada do poder.
Viveu três anos em total pobreza, até que lhe quiseram restituir o poder, o que ela recusou pois apreciou viver na miséria, seguindo o exemplo de uma Ordem Religiosa nascente, a Franciscana. Não nos podemos esquecer que, nesse tempo, era grande a admiração por S. Francisco de Assis com que ela, aliás, se correspondeu. Morreu em 1231, tendo sido canonizada 4 anos depois.
Quando a sua sobrinha-neta nasceu em 1270, era grande o fervor franciscano e o culto de sua tia, daí a escolha do nome. Herdou-lhe o nome e depois o dito Milagre das Rosas, que a pintora Maria Clarice Sarraf tão bem retratou no quadro apresentado.
Depois de, por várias vezes, ter evitado situações de guerra eminente, acabou por falecer em Estremoz, no dia 4 de Julho de 1336, depois de evitar mais uma guerra entre Portugal e Castela. Logo aí começa a sua fama de Santa não sendo por isso de admirar que, em 1516, D. Manuel tenha solicitado ao Papa Leão X, autorização para se poder fazer o seu culto religioso em Coimbra. Foi canonizada pelo Papa Urbano VIII em 1625.
Curioso é que no já referido ano de 1516, tenha D. Manuel concedido a Coimbra a divisa da cidade que conhecemos, onde ao contrário do que muitos pensam, não aprece a Rainha Santa mas sim a princesa Cindazunda).

4 comentários:

São disse...

Embora já me fosse conhecida a história das Isabéis, gostei de relembrar.

Adoro Coimbra, sabe?

Um bom domingo.

Clarice disse...

Parece que o nome Isabel traz bondade. Aqui deu liberdade aos escravos.
Acredito mais em ações do que em milagres, pois que a olhar de perto é mais fácil segui-las.
Abração.

Gata Verde disse...

Adoro a história da nossa rainha santa!

al cardoso disse...

Nao ha duvida que o meu amigo tal como eu, gosta mais da historia verdadeira conhecida, do que que nos impingiram durante muito tempo baseada em lendas e ate por vezes furjada!

Por acaso ja sabia mas provavelmente muita gente nao.

Um abraco de amizade dalgodrense.

PS: Ja esta explicada a sua falta de presenca pelos meus sitios.